Coronavírus

Internacional Guatemaltecos bloqueiam estradas para exigir renúncia de presidente

Guatemaltecos bloqueiam estradas para exigir renúncia de presidente

Manifestantes acusam o presidente Alejandro Giammattei e a procuradora-geral do país de corrupção e desvios na pandemia

AFP
Manifestantes bloquearam diversas estradas na Cidade da Guatemala

Manifestantes bloquearam diversas estradas na Cidade da Guatemala

Johan Ordonez / AFP - 9.8.2021

Centenas de guatemaltecos bloquearam cerca de 40 trechos de estradas em várias regiões do país nesta segunda-feira (9) para exigir a renúncia do presidente da Guatemala, Alejandro Giammattei, e da procuradora-geral, Consuelo Porras, a quem acusam de corrupção.

Leia também: 101 migrantes haitianos são resgatados na Guatemala

“É necessária a renúncia do presidente Giammattei e da procuradora-geral Consuelo Porras, por ser um governo corrupto e por proteger os maiores corruptos do país”, disse um líder camponês em um vídeo divulgado pelo Comitê de Desenvolvimento Camponês (Codeca), que convocava a manifestação.

A chamada "greve multinacional" gerou congestionamentos nas áreas de bloqueio. O protesto coincide com a comemoração do Dia Internacional dos Povos Indígenas.

O Codeca defende a formação de um "governo transitório que convoque um processo de assembleia constituinte" e a redação de uma nova Constituição.

Acusações de corrupção

Os protestos exigindo a renúncia de Giammattei e Porras se intensificaram depois que a procuradora-geral de Justiça demitiu Juan Francisco Sandoval, chefe da Promotoria Especial contra a Impunidade (FECI), no final de julho.

Sandoval, reconhecido pelos Estados Unidos como um "herói anticorrupção", declarou depois de ser destituído do cargo que encontrou muitos obstáculos em seu trabalho e que foi convidado a não investigar o presidente Giammattei sem o consentimento de Porras.

O ex-promotor fugiu posteriormente para os Estados Unidos, país que perdeu a "confiança" em Porras e congelou a ajuda ao Ministério Público (MP).

Giammattei, médico de profissão, também foi duramente criticado por seu enfrentamento da pandemia de covid-19.

A Guatemala, com cerca de 17 milhões de habitantes, está atrasada na vacinação e a maior parte das quase sete milhões de doses que chegaram ao país foram por meio de doação.

O país centro-americano, que inicialmente comprou 16 milhões de doses da Sputnik V, da Rússia, renegociou o contrato e cancelou metade da encomenda, devido a atrasos na entrega.

Pagou 79,6 milhões de dólares por oito milhões de doses da Rússia, mas recebeu apenas 550.000 vacinas até agora.

A Guatemala registrou 390.514 infecções e 10.771 mortes desde o início da pandemia.

Últimas