Coreia do Norte
Internacional Hackers roubam dados de mil norte-coreanos que vivem no Sul 

Hackers roubam dados de mil norte-coreanos que vivem no Sul 

Ministério da Unificação descobriu que nomes, datas de nascimento e endereços foram roubados por meio de computador com malware

Desertores norte-coreanos

Ministro sul-coreano da Unificação, Cho Myoung-gyon

Ministro sul-coreano da Unificação, Cho Myoung-gyon

Ahn Young-joon/Pool via REUTERS/03.07.2018

Informações pessoais de quase mil norte-coreanos que desertaram para a Coreia do Sul vazaram após hackers desconhecidos terem acesso ao banco de dados de uma agência de reassentamento, informou o Ministério da Unificação sul-coreano nesta sexta-feira (28).

O ministério descobriu na semana passada que nomes, datas de nascimento e endereços de 997 desertores foram roubados através de um computador infectado com software malicioso em uma agência chamada Hana Center, na cidade de Gumi.

"O malware foi plantado através de emails enviados por um endereço interno", disse um funcionário do ministério a repórteres sob condição de anonimato, devido à sensibilidade do assunto.

A Hana Center está entre as 25 agências que o ministério administra em todo o país para ajudar cerca de 32 mil desertores a se adaptarem à vida no sul democrático e mais rico, oferecendo empregos, assistência médica e legal.

A autoridade do ministério recusou-se a dizer se a Coreia do Norte estaria por trás do ataque, ou qual poderia ter sido o motivo do roubo, dizendo que uma investigação policial estava em curso para identificar os responsáveis.

O Ministério da Unificação disse que estava notificando os afetados e não havia relatos de qualquer impacto negativo por conta da violação.