Internacional Homem que ameaçava atacar sede do governo da Ucrânia é preso

Homem que ameaçava atacar sede do governo da Ucrânia é preso

Suspeito é veterano de guerra e ameaçou explodir granada no local; ele será submetido a exames psiquiátricos 

AFP
Homem ameaçou explodir granada em sede do governo da Ucrânia

Homem ameaçou explodir granada em sede do governo da Ucrânia

The Ministry of Internal Affairs of Ukraine/Handout via REUTERS - 4.8.2021

A polícia ucraniana prendeu, nesta quarta-feira (4), um veterano de guerra do Dombass, que ameaçava explodir uma granada na sede do governo, em Kiev. 

"Foi detido", anunciou o porta-voz do Ministério do Interior, Artem Shevchenko. 

As forças especiais da polícia entraram no prédio e retiraram o homem, conforme registro feito pelo fotógrafo da AFP presente no local.

O indivíduo se entregou depois de "dez minutos" de negociações com um amigo seu, levado pela polícia para o local dos fatos, relatou o chefe da polícia Igor Klymenko, em um comunicado. 

O homem é um veterano da guerra contra os separatistas pró-russos no leste da Ucrânia. Ele foi ferido duas vezes e sofreu uma concussão, acrescentou Klymenko.

O delegado confirmou que a granada em seu poder era real e que pode ser condenado a 15 anos de prisão. 

Será submetido a um exame psiquiátrico, afirmou o ministro do Interior, Denys Monastyrsky, no Facebook. 

O agressor não fez nenhum pedido concreto e se limitou a dizer que estava "farto da própria vida", segundo a agência de notícias Interfax-Ucrânia. 

Um político local, Vasyl Olekssiuk, amigo do homem que dirigiu as negociações, disse que o suspeito deixou o Exército há vários anos e que trabalhava em uma oficina mecânica. Encontrava-se em uma difícil situação financeira.

Pela manhã, o agressor apareceu no saguão da sede do governo, ameaçando detonar uma granada, a poucas horas de uma reunião de gabinete. 

Em um vídeo publicado na Internet, ele aparece na entrada do prédio, segurando nas mãos um objeto que ameaçava detonar, enquanto dizia: "Não sairei vivo daqui".

Últimas