Internacional Hospitais começam a entregar às famílias corpos de vítimas de avião que caiu no Nepal

Hospitais começam a entregar às famílias corpos de vítimas de avião que caiu no Nepal

Ontem, equipes de resgate localizaram três partes de material humano; com isso, 70 das 72 pessoas a bordo já foram encontradas

  • Internacional | Do R7

Pelo menos dez corpos já foram enviados à capital, Katmandu; 72 morreram na tragédia

Pelo menos dez corpos já foram enviados à capital, Katmandu; 72 morreram na tragédia

Prakash Mathema/AFP – 17.01.2023

Os hospitais do Nepal começaram, nesta terça-feira (17), a entregar às famílias os corpos das vítimas do acidente de avião ocorrido anteontem — a pior tragédia aérea do país nos últimos 30 anos. 

A aeronave, um bimotor ATR 72 da companhia nepalesa Yeti Airlines, com 68 passageiros e quatro tripulantes a bordo, se chocou contra um morro perto do aeroporto de Pokhara, uma cidade turística localizada no centro do país e porta de entrada para visitantes do mundo todo.

Todos a bordo morreram, entre eles, 15 estrangeiros — cinco indianos, quatro russos, dois coreanos, uma argentina, um australiano, um irlandês e um francês. Também estão entre os óbitos seis crianças, de acordo com as autoridades.

Os socorristas trabalharam sem descanso desde o momento do acidente para recuperar os restos mortais das vítimas entre os fragmentos do avião, a fuselagem e os assentos queimados no fundo de um precipício de 300 metros de profundidade.

Até esta terça, 70 corpos dos 72 já tinham sido resgatados, disse à AFP o oficial da policía AK Chhetri. "Encontramos um corpo na noite passada, mas estava despedaçado. Ainda não temos certeza de que se trata de três corpos ou de apenas um. Isso vai se confirmar depois por meio de teste de DNA", completou.

"Retomamos as buscas pelos corpos que faltam. Hoje [terça-feira], mobilizamos quatro drones para isso, e ampliamos o raio de buscas de 2 para 3 quilômetros", acrescentou.

Dez cadáveres foram transportados em um caminhão do Exército nepalês de um hospital de Pokhara até o aeroporto, a fim de serem levados para a capital, Katmandu. Outros três foram entregues às famílias, em Pokhara. Durante o dia de hoje, outros corpos serão enviados às famílias.

Dor das famílias

"Deus tirou uma pessoa tão boa de nós", lamentou Raj Dhungana, tio da passageira Sangita Shahi, de 23 anos, do lado de fora do hospital de Pokhara.

Toda a família está de luto pelo desaparecimento dessa mulher "talentosa", que estudava em Katmandu e tinha um salão de maquiagem e uma loja online, explicou à AFP.

O ATR 72, vindo de Katmandu, caiu pouco antes das 11h no horário local do domingo (15) perto do aeroporto de Pokhara, a segunda maior cidade do Nepal.

Ainda não se sabe a causa do acidente, mas um vídeo divulgado nas redes sociais mostrou como o aparelho virou bruscamente para a esquerda ao se aproximar do aeródromo, enquanto se ouvia uma forte explosão.

As caixas-pretas foram localizadas ontem e deverão trazer respostas para a investigação.

Segundo a agência Press Trust of India (PTI), a copiloto, Anju Khatiwada, havia entrado na aviação civil nepalesa após a morte do marido em um acidente com um pequeno avião de passageiros, em 2006.

O setor de aviação civil do país, essencial para levar suprimentos a regiões remotas e movimentar alpinistas, cresceu muito nos últimos anos.

Mas, devido à falta de treinamento de pessoal e problemas de manutenção, as empresas geralmente enfrentam problemas de segurança.

A União Europeia, portanto, proibiu todas as transportadoras nepalesas de entrar em seu espaço aéreo.

O pior desastre aéreo da história desse país do Himalaia ocorreu em setembro de 1992, quando um avião da Pakistan International Airlines caiu perto de Katmandu. Na ocasião, 167 pessoas morreram.

Últimas