Novo Coronavírus

Internacional Hospitais portugueses se preparam para lotação por casos de covid

Hospitais portugueses se preparam para lotação por casos de covid

Número de pacientes na UTI nos próximos dias pode superar o número de internados na primeira onda e sobrecarregar o sistema de saúde

  • Internacional | Da EFE, com R7

Portugal alerta que hospitais ficarão sobrecarregados

Portugal alerta que hospitais ficarão sobrecarregados

Yves Herman/Reuters - 23.10.2020

Os hospitais portugueses começam a se organizar para enfrentar a próxima semana, em que se estima que os pacientes internados com coronavírus possam crescer 80% e ultrapassar o número máximo de internados em cuidados intensivos na primeira onda.

Com a pressão hospitalar crescente, Portugal tem atualmente 1.672 pacientes com covid internados, o maior número de toda a pandemia. Alguns hospitais de Lisboa e do norte, zona mais afetada pela nova onda, começaram a alertar que terão que tomar duras decisões a partir da semana que vem.

No hospital São João, o maior da região norte, 40% dos leitos de terapia intensiva já estão ocupados por pacientes com covid, e o chefe do Pronto Atendimento, Nelson Pereira, alertou que caso a situação piore, as cirurgias programadas terão que ser reajustadas e não vai ter lugar nem na UTI para outros pacientes.

“Nossa preocupação não é a data de hoje, que é extremamente exigente. O que nos preocupa é ficarmos em uma curva ascendente”, explicou à mídia local.

Nesse hospital, eles estimam que 20% das cirurgias agendadas terão que ser suspensas.

No hospital Amadora-Sintra, na periferia de Lisboa, os profissionais de saúde começam a alertar a imprensa que a situação se aproxima de limites difíceis, e já se procuram formas de libertar mais leitos esta semana.

Situação grave

A pressão sobre estes centros de saúde é uma das principais preocupações do país durante esta nova onda da pandemia, onde se prevê que o número de doentes internados por coronavírus aumente mais de 80% entre agora e a próxima semana, ultrapassando os 3 mil internamentos até 4 de novembro.

A previsão é feita com base em cálculos do Instituto Ricardo Jorge com base na tendência atual, explicou a ministra da Saúde, Marta Temido, que descreveu a situação como "complexa e grave".

Principalmente nas UTIs, onde atualmente existem 240 pacientes com covid-19 e onde se espera que nesta semana seja ultrapassado o máximo registrado na primeira onda (271 pacientes).

Portugal tem 121.133 casos confirmados e 2.343 mortes desde o início da pandemia.

Nas últimas 24 horas, registrou 2.447 infecções - no sábado bateu um recorde com 3.669 infecções - e 27 mortes.

Para enfrentar a pandemia, o Executivo português anunciou restrições à mobilidade entre municípios entre a meia-noite de sexta-feira, dia 30, até às 23h59, de 3 de novembro.

O objetivo é limitar as reuniões durante o feriado do Dia de Todos os Santos, no começo de novembro, em que os cemitérios portugueses debatem se vão impor restrições ou mesmo fechar para evitar multidões que prejudicam o distanciamento social.

Últimas