Novo Coronavírus

Internacional Hungria, Finlândia, Marrocos e Hong Kong proíbem voos do Reino Unido

Hungria, Finlândia, Marrocos e Hong Kong proíbem voos do Reino Unido

Viagens de aviões de passageiros de e para o país europeu estão vetadas devido à nova variante do novo coronavírus, que se espalha mais rapidamente

  • Internacional | Do R7, com EFE

Diversos países interromperam voos ao Reino Unido

Diversos países interromperam voos ao Reino Unido

Zoltan Balogh/EFE

A Hungria, a Finlândia, Hong Kong e Marrocos engrossaram, nesta segunda-feira (21), a lista de países que suspenderam os voos com destino ou origem no Reino Unido.

A decisão ocorre por conta da identificação de uma mutação do coronavírus, capaz de se espalhar mais rapidamente.

Até agora, porém, não há evidências de que as vacinas contra o vírus não funcionem contra essa variante, bem como nada prova que o vírus novo seja mais infeccioso.

Com a medida, os quatro países se juntam a um grupo crescente que suspendeu voos diretos do Reino Unido, incluindo Argentina, Chile, Colômbia, Peru, Holanda, Bélgica, Itália, Irlanda, Suécia e Áustria.

Hungria

O órgão que coordena os esforços contra a pandemia na Hungria informou que "os aviões de passageiros do Reino Unido não poderão pousar na Hungria, devido à tensão particularmente contagiosa que se espalha por lá".

A proibição, cuja duração não foi especificada, não afeta as aeronaves de carga.

A chefe do serviço de saúde húngaro, Cecília Müller, garantiu hoje que a nova estirpe ainda não foi detectada na Hungria e que o governo fará tudo o que for necessário "para evitar que isso aconteça".

A medida afeta dezenas de milhares de húngaros que trabalham no Reino Unido.

Finlândia

A Traficom (Agência de Transporte e Comunicações) do país nórdico informou que a decisão foi tomada seguindo as recomendações do THL (Instituto Nacional de Saúde e Bem-estar) da Finlândia, segundo as quais a suspensão imediata do tráfego de passageiros no Reino Unido é "necessária e proporcional"pela ameaça representada por esta nova variante.

A proibição não afetará o transporte aéreo de mercadorias do Reino Unido ou os voos de passageiros da Finlândia para os aeroportos britânicos, que poderão operar normalmente.

Segundo o THL, na Finlândia, não foi detectado até o momento nenhum caso de infecção por essa nova cepa do vírus, supostamente mais contagiosa que a variante original, o que já aconteceu em países como Holanda, Itália, Dinamarca e Austrália.

Hong Kong

A secretária de Saúde da região semi-autônoma chinesa de Hong Kong, Sophia Chan, explicou em entrevista coletiva que o veto entrará em vigor a partir da próxima meia-noite, no horário local, para qualquer voo de passageiros do Reino Unido.

A proibição também se estenderá a qualquer cidadão, incluindo residentes de Hong Kong, que tenham passado mais de 2 horas no país europeu nas últimas duas semanas.

As novas medidas incluem uma extensão da quarentena obrigatória na chegada à ex-colônia britânica: aqueles que voltaram recentemente do Reino Unido terão que ficar mais 7 dias em casa após os 14 até agora obrigatórios. Quem desrespeitar está sujeito a uma multa equivalente a US$ 645 dólares (R$ 3.360).

"Claro, esperamos que sejam medidas temporárias", disse Chan sobre a iniciativa, a mais rigorosa até hoje em Hong Kong, mas, em sua opinião, necessária para prevenir a nova variante.

Marrocos

Marrocos é outro país que também impediu voos de ida ou volta para o Reino Unido.

O executivo explicou, por meio de comunicado do governo, que a decisão se insere no quadro de “medidas de emergência” que visam preservar a saúde da população e travar a propagação da pandemia.

Até o momento, o Marrocos registrou um total de 417.125 pacientes infectados com o novo coronavírus, dos quais 378.154 foram curados e 6.957 morreram.

Últimas