Internacional Iêmen e rebeldes houthis acertam troca de mais de mil presos

Iêmen e rebeldes houthis acertam troca de mais de mil presos

Enviado especial da ONU disse que esta é a maior libertação de presos do país e partes vão voltar a negociar liberdade de todos os prisioneiros 

Autoridades do Iêmen e rebeldes negociam troca de mais de mil prisioneiros

Autoridades do Iêmen e rebeldes negociam troca de mais de mil prisioneiros

Denis Balibouse/Reuters - 27.9.2020

O governo internacionalmente reconhecido do Iêmen e os rebeldes houthis concordaram em trocar 1.081 prisioneiros de guerra, anunciou o enviado especial das Nações Unidas para o país, Martin Griffiths.

Em uma entrevista coletiva em Genebra, onde as partes têm negociado em meio a um grande segredo nos últimos dias, Griffiths disse que o acordo representaria "a maior libertação de prisioneiros da história do conflito no Iêmen".

Além disso, informou que as partes concordaram em se reunir novamente para discutir a libertação de mais detidos, como parte, segundo ele, do compromisso de libertar todos os prisioneiros associados ao confronto.

Griffiths agradeceu às partes o que definiu como compromisso construtivo, positivo e incansável durante as negociações e pediu para que as duas partes continuem buscando uma solução para uma paz duradoura no Iêmen.

Na visão do funcionário da ONU, o anúncio de hoje mostra que negociações pacíficas podem ter e terão sucesso em proporcionar alívio ao sofrimento do povo iemenita. São mais de cinco anos de guerra, que causou ao país a pior crise humanitária do planeta, segundo a organização.

Os houthis, por sua vez, divulgaram através de um comunicado os detalhes do acordo obtido sob a supervisão da ONU, segundo o qual 681 prisioneiros do lado do governo deveriam ser libertados em troca de 400 rebeldes. De acordo com o movimento, a troca começará em 15 de outubro, e nas próximas duas semanas o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) fará os preparativos necessários.

Últimas