Índia desiste de reabertura do Taj Mahal citando riscos da covid-19

Autoridades locais emitiram um comunicado ordenando a extensão das medidas de bloqueio nos monumentos devido o risco de novas infecções

Reabertura do Taj Mahal é adiada

Reabertura do Taj Mahal é adiada

Sunil Kataria - 02.abr.2020/Reuters

A Índia desistiu da reabertura planejada do Taj Mahal, citando o risco de novas infecções por coronavírus devido ao grande número pessoas que visitam o monumento do século 17.

Autoridades locais emitiram um novo comunicado neste domingo (5), ordenando uma extensão das medidas de bloqueio nos monumentos e em torno de Agra - região onde o Taj Mahal está localizado. A ordem do governo não especificou a duração do bloqueio para monumentos fechados desde março.

"Pelo interesse do público, foi decidido que a abertura de monumentos em Agra não será aconselhável por ora", disseram as autoridades do distrito em comunicado publicado em hindi.

Agra, um dos primeiros grandes focos do vírus na Índia, continua sendo a cidade mais afetada em Uttar Pradesh, o Estado mais populoso do país.

Não ficou imediatamente claro se o governo federal desistiria de seu plano de reabrir outros monumentos em todo o país, como o histórico Forte Vermelho de Nova Délhi.

As infecções por coronavírus na Índia estão aumentando no ritmo mais rápido em três meses.

Neste domingo, o Ministério da Saúde registrou um recorde de 24.850 novos casos e mais de 600 mortes em um dia. Isso elevou a contagem geral da Índia para 673.165 casos, aproximando-se da Rússia, o terceiro país mais afetado globalmente.