"Inferno na Terra" em Ghouta Oriental precisa acabar, diz ONU

Organização pede implementação imediata da trégua de 30 dias na Síria; agências dizem estar prontas para entregar ajuda humanitária e tratar feridos

Ghouta: 400 mil pessoas têm vivido sitiadas

Ghouta: 400 mil pessoas têm vivido sitiadas

REUTERS/Bassam Khabieh/25.02.2018

O secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas), António Guterres, pediu nesta segunda-feira (26) que os lados em conflito implementem um cessar-fogo de 30 dias na Síria, em linha com pedido feito por grandes potências durante o final de semana.

Agências da ONU estão prontas para entregar ajuda humanitária e retirar feridos em estado grave do enclave sírio controlado por rebeldes de Ghouta Oriental, onde 400 mil pessoas têm vivido sitiadas, disse Guterres.

"Ghouta Oriental não pode esperar, é tempo de acabar com esse inferno na Terra", disse Guterres ao Conselho de Segurança da ONU, que iniciou sua principal sessão anual de quatro semanas em Genebra.

O alto comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad al-Hussein, disse que ataques aéreos em Ghouta Oriental continuavam na manhã desta segunda-feira.