Novo Coronavírus

Internacional Inglaterra: irmão do prefeito de Liverpool morre de covid-19

Inglaterra: irmão do prefeito de Liverpool morre de covid-19

Cidade decretou alerta máximo após surto de coronavírus e instaurou as medidas de restrição mais rígidas no país durante a segunda onda 

  • Internacional | Da EFE

Liverpool decretou alerta máximo por aumento de casos

Liverpool decretou alerta máximo por aumento de casos

Phil Noble/Reuters - 15.10.2020

O prefeito da cidade inglesa de Liverpool, o Trabalhista Joe Anderson, informou neste sábado (17) que seu irmão morreu na noite passada depois de ter contraído covid-19 e ter sido internado em uma unidade de terapia intensiva.

Liverpool começou a aplicar esta semana as medidas mais rígidas decretadas até agora na Inglaterra durante a segunda onda da pandemia, que incluem o fechamento de bares, pubs, academias e salas de jogos, além da proibição de qualquer reunião social entre não coabitantes dentro da mesma casa.

"Apesar dos melhores esforços dos trabalhadores do Liverpool University Hospital, meu irmão infelizmente morreu às 10:45 da noite passada", disse o prefeito no Twitter.

"Queremos agradecer a esses trabalhadores dedicados que arriscam suas vidas por nós. Obrigado a todos por suas mensagens de amor e apoio. Vamos ficar juntos e apoiar uns aos outros para vencer esta batalha", acrescentou Anderson.


De acordo com os últimos dados oficiais, a incidência do coronavírus em Liverpool chega a 642 casos por 100 mil habitantes em sete dias, então o governo britânico decretou o nível de alerta "muito alto" na quarta-feira na área metropolitana da cidade, o máximo em uma escala de três.

Manchester, com uma proporção de cerca de 450 casos por 100 mil habitantes, também deveria ter passado para essa etapa nesta semana, a critério do Executivo, mas o prefeito da cidade, Andy Burnham, também sindicalista, se opõe às medidas.

O prefeito exige mais ajuda financeira do governo para os funcionários e empresas que serão afetados pelos fechamentos antes de aplicar as restrições.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, advertiu que vai impor as medidas ainda contra o julgamento do prefeito se nenhum acordo for alcançado neste fim de semana.

Últimas