Internacional Integrantes de família ligada à máfia são presos em Nova York

Integrantes de família ligada à máfia são presos em Nova York

Justiça expediu mandados de prisão para 17 integrantes da família Colombo sob acusação de se infiltrarem em um sindicato

AFP
Famílias da máfia de Nova York ficaram conhecidas pelas brigas e foram eternizadas no cinema

Famílias da máfia de Nova York ficaram conhecidas pelas brigas e foram eternizadas no cinema

Pixabay

O suposto chefe de uma das famílias históricas da máfia italiana e suspeitos de integrarem a organização foram presos nesta terça-feira (14), acusados por promoteres de crime organizado, em Nova York, nos Estados Unidos.

A acusação, apresentada a um tribunal federal pelo Distrito Leste de Nova York, no Brooklyn, aponta dez membros da família Colombo como responsáveis por crimes como extorsão e lavagem de dinheiro.

Andrew "Mush" Russo, de 87 anos, chefe da família Colombo, seu braço direito, Benjamin Castellazzo, de 83 anos, e o conselheiro Ralph DiMatteo estão entre os 14 acusados, segundo os promotores.

Russo e Castellazzo foram presos nesta terça e devem enfrentar um procedimento virtual ante a corte do Brooklyn até o fim do dia, enquanto DiMatteo continua foragido. Eles são acusados de tentarem se infiltrar e assumir o controle de um sindicato.

A família Colombo é uma das cinco principais organizações mafiosas ítalo-americanas no nordeste do país. As outras famílias são os Genovese, Lucchese, Gambino e Bonanno.

Toda a administração da família Colombo, incluindo Russo e Castellazzo, declarou culpa em uma série de atividades mafiosas, em 2012. Russo, condenado em sete ocasiões, foi solto pela última vez em 2013.

A máfia de Nova York foi enfraquecida por vários golpes nos últimos anos, incluindo prisões, brigas internas e competição com outras organizações criminosas, mas ainda são consideradas ativas. O chefe do clã Gambino, "Frank" Cali, foi morto a tiros na frente de casa, no distrito de Staten Island, em Nova York, em março de 2019.

Últimas