Internacional Investigação de jornal britânico comprova que Assad usou armas químicas em confrontos na Síria

Investigação de jornal britânico comprova que Assad usou armas químicas em confrontos na Síria

A Organização para Proibição de Armas Químicas irá ao país para analisar amostras

  • Internacional | Do R7

Uma análise científica feita pelo jornal britânico Telegraph e divulgada nesta terça-feira (29) revelou que o governo de Bashar al Assad usou armas químicas contra crianças na Síria.

No primeiro teste realizado, amostras do solo onde aconteceram três ataques recentes foram coletadas por profissionais preparados e analisadas por um especialista em guerras químicas. Os resultados indicavam vestígios consideráveis de cloro e amônia. 

O uso de asfixiantes, tóxicos ou outros gases (que podem ser produzidos por cloro e amônia) é proibido pelo Protocolo de Genebra, do qual a Síria é signatária. 

Os ataques no país aconteceram por meio de helicópteros. Na Síria, apenas o regime do governo tem acesso ao poder aéreo, o que confirma mais uma vez que os ataques químicos só poderiam ser realizados por militantes pró-Assad, e não pela oposição. 

Fotos podem ser provas de novo ataque químico na Síria

Chernobyl: conheça a cidade fantasma 28 anos depois do pior acidente nuclear do mundo

A Opaq (Organização para Proibição de Armas Químicas) anunciou nesta terça-feira que enviará uma missão de averiguação sobre as alegações de que Assad teria atacado a Síria com cloro em meio aos conflitos. O governo sírio se diz aberto para investigações.

A Síria negou o uso de armas químicas e afirmou que a ação é provocada por rebeldes que querem chamar a atenção da Comunidade Internacional. 

Para EUA, há 'indícios' de novo uso de armas químicas na Síria

Últimas