Internacional Irã: Biden anuncia sanções por violações dos direitos humanos

Irã: Biden anuncia sanções por violações dos direitos humanos

Autoridades da Guarda Revolucionária Iraniana serão proibidas de entrar nos EUA durante interrogatórios de detidos em protestos

Autoridades iranianas e familiares não podem entrar nos EUA

Autoridades iranianas e familiares não podem entrar nos EUA

SAUL LOEB / AFP

O governo de Joe Biden, que busca fazer com que o Irã retorne ao acordo internacional para conter seu programa nuclear, anunciou nesta terça-feira (9) as primeiras sanções contra autoridades iranianas acusadas de violações dos direitos humanos.

As sanções afetam Ali Hematian e Massud Safdari, dois membros da Guarda Revolucionária, o exército ideológico do Irã, que serão impedidos de entrar nos Estados Unidos por suas responsabilidades durante interrogatórios de detidos em protestos em 2019 e 2020. Essa proibição também afeta seus familiares.

"Hoje, no Conselho de Direitos Humanos em Genebra, expressamos claramente nossa preocupação com os abusos que o governo iraniano continua a cometer contra seus cidadãos, incluindo a detenção injusta de muitas pessoas em condições deploráveis", declarou o chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, em comunicado.

O governo Biden prometeu que os Estados Unidos voltarão a aderir ao acordo nuclear assinado em 2015 por Teerã com as grandes potências, do qual o governo Donald Trump decidiu se retirar. Em troca, exige que o Irã honre seus compromissos de limitar seu programa nuclear.

Nesse cenário, o governo dos Estados Unidos deveria voltar a levantar as sanções contra o Irã que estavam suspensas com o pacto, mas que Trump restabeleceu a partir de 2018.

Últimas