Estados Unidos

Internacional Irã diz que EUA temem democracia após novas sanções de Washington

Irã diz que EUA temem democracia após novas sanções de Washington

Os EUA sancionaram personalidades iranianas que compõem o órgão que deve aprovar candidatos ao Parlamento e à presidência do Irã

  • Internacional | Da EFE

Ahmad Yanati sofreu sanção por supostamente impedir crítica contra Ali Khamenei

Ahmad Yanati sofreu sanção por supostamente impedir crítica contra Ali Khamenei

Reuters

O Ministério das Relações Exteriores do Irã disse nesta sexta-feira (21) que os Estados Unidos temem a "democracia e participação (eleitoral)" no país, em resposta às novas sanções de Washington relacionadas às eleições parlamentares realizadas hoje.

"Aqueles que submeteram sanções a mais de 83 milhões de iranianos e não conseguiram obter resultados, se aproximaram agora da instituição de eleições no Irã com profundo desespero e frustração, e isso mostra como eles têm medo da democracia e da participação popular", disse o porta-voz Abbas Mousavi.

Os EUA anunciaram ontem (20) sanções contra cinco personalidades iranianas importantes, incluindo o clérigo Ahmad Yanati, por supostamente impedir a participação de vozes críticas contra o aiatolá Ali Khamenei nas eleições parlamentares realizadas hoje no Irã.

Os cinco indivíduos sancionados, cujos bens potenciais nos EUA estão congelados, fazem parte do Conselho de Guardiões, o órgão que deve aprovar os candidatos ao Parlamento e à presidência do Irã.

Musavi enfatizou em uma declaração que essas sanções "nada mais são do que o fracasso, frustração e a derrota da política de pressão máxima do regime americano".

Além disso, o porta-voz disse que o povo e o governo iraniano não valorizam essas sanções "covardes" e que a estratégia do Irã para essas medidas é a "máxima resistência".

Por sua vez, o aiatolá Yanati zombou das sanções e disse que agora não podem "ir aos EUA no Natal e gastar seu dinheiro lá".

Leia mais: 5 coisas que você precisa saber sobre as eleições presidenciais no Irã – e por que ela é tão importante para o mundo

O porta-voz do Conselho de Guardiões, Abbas Ali Kadjodai, outro dos sancionados, disse que a nação iraniana dará "uma resposta forte ao arrogante governo dos EUA com sua participação nas eleições".

O Departamento do Tesouro culpa Yanati, chefe da Assembleia de Peritos e secretário do Conselho de Guardiões, por vetar "quase metade" dos possíveis candidatos a eleições parlamentares.

Cerca de 7.150 candidatos participam das eleições, metade dos inscritos, e entre os vetados pelo Conselho de Guardiões, estão 75 dos atuais deputados e diversos reformistas e moderados.

Quase 58 milhões de iranianos são convocados neste dia para as eleições que elegerão os 290 membros do Parlamento, em eleições nas quais os conservadores esperam alcançar uma vitória.

Últimas