Internacional Irã insiste que drone americano foi abatido em suas águas

Irã insiste que drone americano foi abatido em suas águas

Chanceler iraniano explicou que dispositivo não tripulado decolou dos Emirados Árabes Unidos 'de forma oculta e violou o espaço aéreo iraniano'

EUA e Irã

Drone dos Estados Unidos teria sido abatido em espaço aéreo iraniano

Drone dos Estados Unidos teria sido abatido em espaço aéreo iraniano

U.S. Air Force/Bobbi Zapka/Handout via REUTERS

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, insistiu nesta sexta-feira (21) em que o avião não tripulado americano derrubado ontem pelos Guardiões da Revolução violou o espaço aéreo do país e caiu em suas águas territoriais.

"Nós recuperamos os restos do avião militar dos Estados Unidos em nossas águas territoriais, onde foi derrubado", escreveu Zarif, em sua conta oficial do Twitter, em resposta às declarações dos EUA de que o drone sobrevoava águas internacionais.

O chanceler iraniano explicou que o drone decolou dos Emirados Árabes Unidos "de forma oculta e violou o espaço aéreo iraniano" ao ser dirigido às coordenadas 25°59'43"N 57°02'25"E, perto de Kuhe Mobarak.

Pouco antes, em outra mensagem, Zarif denunciou que os EUA, além de realizar "terrorismo econômico e ações secretas" contra o Irã, agora também "invadiram" seu território.

"Nós não buscamos a guerra, mas defenderemos zelosamente nossos céus, terra e águas", advertiu o ministro, que já anunciou que o Irã levará o caso para as ONU.

A missão iraniana nas Nações Unidas, de fato, entregou uma carta com informações precisas sobre os pontos alcançados pelo drone americano.

O dispositivo é um drone de vigilância desarmado do modelo MQ-4 Triton, que é capaz de operar em altitudes de até 18 mil metros e é uma versão da nave de reconhecimento RQ-4 Global Hawk da Força Aérea americana.

Foi abatido por um míssil terra-ar do sistema de defesa aérea Jordad 3, projetado e fabricado no Irã, que está sob um embargo de armas.

Os EUA alegaram que o drone não violou o espaço aéreo iraniano e seu presidente, Donald Trump, atribuiu o incidente a "um erro" e não um ataque intencional do Irã, embora ele não descartasse a possibilidade de uma retaliação.

Advertências ignoradas

As Forças Armadas do Irã ainda asseguraram hoje que enviaram várias advertências ao avião não tripulado dos Estados Unidos antes de derrubá-lo.

O subcomandante da base de defesa aérea Jatam al Anbia, Kader Rahimi, ressaltou que essas advertências e a rota de voo "estão registradas", segundo a televisão estatal iraniana.