Irã promete 'reação esmagadora' se EUA renovarem embargo de armas

O embargo de armas da ONU deve terminar em outubro. Os EUA, que se retiraram do acordo em 2018, dizem que querem renovação

Irã não quer que EUA renovem embargo de armas da ONU

Irã não quer que EUA renovem embargo de armas da ONU

Brendan Mcdermid/Reuters - 26.09.2018

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, ameaçou nesta quarta-feira (6) ter uma "reação esmagadora" se os Estados Unidos forem adiante com os planos de prorrogar um embargo ao comércio iraniano de armas convencionais que a ONU (Organização das Nações Unidas) deve revogar ainda neste ano.

Conforme o acordo acertado pelo Irã com potências mundiais para aceitar limites ao seu programa nuclear em troca da suspensão de sanções, o embargo de armas da ONU deve terminar em outubro. Os EUA, que se retiraram do acordo em 2018, dizem que querem renovar o embargo.

Em um discurso feito nesta quarta, Rouhani repetiu uma crítica antiga de seu país à decisão dos EUA de abandonar o pacto, a qual ele classificou como um "erro idiota".

"Se a América quiser voltar ao acordo, deveria suspender todas as sanções a Teerã e compensar a readoção de sanções", disse Rouhani, um pragmático cuja retórica em relação aos EUA é frequentemente mais moderada do que aquela de algumas autoridades religiosas. "O Irã terá uma reação esmagadora se o embargo de armas a Teerã for prorrogado".

O Irã vem reduzindo gradualmente seus compromissos com o acordo em reação à decisão norte-americana de abandoná-lo, mas diz que quer manter o pacto em vigor. O regime critica os signatários europeus do acordo por não o salvarem blindando sua economia das sanções dos EUA.

"As etapas nucleares do Irã são reversíveis se as outras partes do acordo cumprirem suas obrigações e preservarem os interesses de Teerã conforme o pacto", disse Rouhani.