Brexit: Reino Unido fora da União Europeia
Internacional Irlanda do Norte alerta premiê britânica sobre acordo do Brexit 

Irlanda do Norte alerta premiê britânica sobre acordo do Brexit 

Medida levanta ainda mais dúvidas sobre capacidade de Theresa May para reunir os números que precisa para aprovar esboço de documento

Brexit

May prometeu continuar lutando por Brexit

May prometeu continuar lutando por Brexit

Matt Dunham/Pool via Reuters/15.11.2018

O partido da Irlanda do Norte que sustenta o governo da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, lhe enviou um alerta contundente a respeito do acordo do Brexit, retirando seu apoio em várias votações parlamentares de um projeto de lei financeira.

A medida rompe o pacto do Partido Unionista Democrático (DUP) com May e torna ainda mais incerto se ela terá os números que precisa para aprovar um esboço do acordo para a separação britânica da União Europeia no Parlamento.

Desde que ela combinou o esboço com a União Europeia, uma semana atrás, alguns parlamentares de seu Partido Conservador vêm tentando afastá-la do cargo, e seus aliados da Irlanda do Norte disseram que o acordo ameaça a unidade do Reino Unido.

May prometeu continuar lutando e alertou seus críticos de que, se a depuserem, o país terá um rompimento possivelmente caótico com o bloco em 29 de março, ou que o Brexit poderá ser adiado ou cancelado.

Mas o DUP não apoiou seu governo minoritário em várias votações de um projeto de lei financeira na segunda-feira – um mau agouro para seu acordo do Brexit, que precisa ser chancelado pela legislatura britânica.

"Tínhamos que fazer algo para mostrar nossa insatisfação", disse o porta-voz do DUP para o Brexit, Sammy Wilson.

A UE deve realizar uma cúpula para debater o esboço do pacto em 25 de novembro. Há relatos de que alguns ministros eurocéticos do gabinete de May que apoiam o Brexit querem reescrever partes dele, mas governos da UE descartaram tal ideia.

Na semana passada parlamentares conservadores pró-Brexit alertaram a premiê duramente dizendo que estão tentando conseguir as 48 cartas necessárias para convocar uma moção de rejeição à sua liderança.