Coreia do Norte

Internacional Irmã de Kim Jong-un acumula cargos e poder na Coreia do Norte

Irmã de Kim Jong-un acumula cargos e poder na Coreia do Norte

Inteligência sul-coreana acredita que Kim Yo-jong, irmã mais nova do líder norte-coreano, agora comanda um importante órgão no partido

Kim Yo-jong acumula responsabilidades no governo norte-coreano

Kim Yo-jong acumula responsabilidades no governo norte-coreano

Jorge Silva / Pool via EFE-EPA - 2.3.2019

Kim Yo-jong, a irmã mais nova do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, continua acumulando cargos e poder no regime, consolidando sua posição como a segunda pessoa mais poderosa do país. Segundo a inteligência da Coreia do Sul, ela agora é responsável por um dos órgãos mais importantes dentro de seu partido.

Leia também: Quem é Kim Yo-jong, a irmã e possível sucessora de Kim Jong-un

Nesta terça-feira (25), o ministro da Defesa da Coreia do Sul, Jeong Kyeong-doo, disse ao parlamento do país que tem indícios para acreditar que Kim Yo-jong agora dirige o Departamento de Organização e Orientação (OGD, na sigla em inglês) do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte. 

De acordo com relatos, o OGD seria o organismo responsável por garantir que os mais de 3 milhões de membros do partido em todo o país sejam suficientemente leais a Kim Jong-un e ao regime.

Mais cargos, mais poder

Antes de receber essa função, Kim Yo-jong já era uma das principais auxiliares de Kim Jong-un, e sua chefe de gabinete extra-oficial, além de comandar a propaganda do governo e ter sido recentemente promovida a membro suplente do Politburo, a elite do partido.

Segundo Jeong, os indícios vindos da Coreia do Norte mostram que a irmã de Kim Jong-un agora tem influência na tomada de decisões do país nas relações com a Coreia do Sul e os EUA. Ela teria sido a responsável pela implosão de um prédio de cooperação mantido pelas duas Coreias, há dois meses.

O suposto aumento de poder de Kim Yo-jong coincide com os rumores sobre a saúde do irmão mais velho. Este ano, ele já deixou as aparições públicas de lado por várias semanas. Houve especulações sobre um coma induzido e até a morte dele.

Últimas