Coronavírus

Internacional Israel aplicará terceira dose da vacina em maiores de 60 anos

Israel aplicará terceira dose da vacina em maiores de 60 anos

Autoridades israelenses anunciaram também que crianças de 5 a 11 anos suscetíveis a complicações da covid serão imunizadas

AFP
Variante delta é um dos motivos para vacinação complementar em Israel

Variante delta é um dos motivos para vacinação complementar em Israel

REUTERS/Ronen Zvulun

Israel convocará seus cidadãos com mais de 60 anos para receber uma terceira dose da vacina contra a covid-19, anunciou o primeiro-ministro israelense, Naftali Bennett, durante uma aparição televisiva nesta quinta-feira (29).

Diante do aumento de infecções nas últimas semanas devido à disseminação da variante delta, Israel lança uma "campanha de vacinação complementar" a partir de domingo, para pessoas com mais de 60 anos que foram vacinadas há mais de seis meses, declarou Bennett.

Leia mais: Férias na pandemia: médico dá dicas para possíveis viagens

“Peço a todas as pessoas mais velhas já vacinadas que aceitem esta dose suplementar. Protejam-se”, pediu o primeiro-ministro. O presidente Isaac Herzog, de 60 anos, receberá sua terceira dose da vacina na sexta-feira, informou Bennett.

"Poucos dias após a terceira dose, terão mais defesas imunológicas", disse Bennett. “As vacinas protegem contra a mortalidade, como acontece com a vacina contra a gripe, que deve ser tomada de novo de tempos em tempos”.

"Esta terceira dose pode salvar vidas", acrescentou o ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, após os comentários do primeiro-ministro.

De acordo com a gigante farmacêutica Pfizer, que produz a vacina aplicada majoritariamente em Israel, "novos estudos mostram que uma terceira dose tem efeitos neutralizantes contra a variante delta cinco vezes maior em jovens e mais de onze vezes em idosos".

Leia mais: Termômetros no Reino Unido devem passar dos 40ºC no verão

Cerca de 55% da população israelense já está totalmente imunizada graças a uma vasta campanha que começou no final de dezembro.

No início de junho, as autoridades estenderam a vacinação aos jovens entre 12 e 16 anos e, a partir de 1º de agosto, às crianças entre 5 e 11 anos que correm risco de complicações graves.

Últimas