Internacional Israel e Hezbollah trocam tiros perto da fronteira com Líbano

Israel e Hezbollah trocam tiros perto da fronteira com Líbano

Conflito teria acontecido para vingar morte de membro da milícia morto na semana passada. Moradores foram aconselhados a não deixarem casas

  • Internacional | Da EFE, com R7

Israel e Hezbollah trocaram tiros nesta segunda-feira (27)

Israel e Hezbollah trocaram tiros nesta segunda-feira (27)

Amir Cohen/Reuters - 27.7.2020

A zona de fronteira entre Israel e Líbano foi palco nesta segunda-feira (27) de uma troca de tiros que acionou alertas e pedidos para que os moradores ficassem em suas casas, após a milícia xiita Hezbollah ter ameaçado na semana passada vingar a morte de um de seus membros em um ataque atribuído a Israel.

"O combate está em curso na área do Monte Dov, no norte de Israel", relatou o porta-voz do Exército, Jonathan Conricus, sem dar mais detalhes.

Ele alertou para um "incidente de segurança" e anunciou o fechamento de estradas, além de restrições à mobilidade.

A emissora de TV libanesa Al Manar, controlada pelo Hezbollah, afirmou que a artilharia de Israel havia atacado as áreas de fronteira.

O Exército israelense reforçou suas tropas no norte do país e os sistemas de defesa aérea neste fim de semana.

Hezbollah nega invasão

Forças israelenses disseram que o grupo Hezbollah havia tentado invadir o país em uma operação para espalhar o terror depois da morte de um soldado. O grupo negou a operação e disse que o incidente de hoje foi "unilateral". 

"Não houveram ataques ou início de tiroteio do nosso lado nos eventos de hoje", disse a nota emitida pela milícia. "Nossa resposta pela morte de Ali Kamel (Mohsen)... certamente virá".

O confronto de hoje não deixou mortos.

Ataques de ontem

Ontem à noite, um drone israelense caiu em um território libanês durante uma missão ao longo da Linha Azul, a demarcação que separa Israel e Líbano.

"O Líbano e o Hezbollah serão responsáveis por qualquer ataque contra nós que venha do território libanês", alertou hoje, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

As forças israelenses atacam intermitentemente alvos do Hezbollah e de grupos armados pró-iranianos na Síria, onde apoiam o regime de Bashar al-Assad, para tentar impedir que estes estabeleçam uma presença militar permanente na região.

Em um dos ataques desta semana em Damasco atribuídos a Israel, cinco combatentes morreram, um deles da milícia xiita libanesa.

Últimas