Novo Coronavírus

Internacional Israel tenta conter a covid-19 com novo período de isolamento

Israel tenta conter a covid-19 com novo período de isolamento

Com quase 4 mil novos casos da doença por dia e hospitais no limite, governo israelense anunciou novo confinamento para moradores a partir de 6ª

  • Internacional | Da EFE

Netanyahu anuncia novo isolamento de 3 semanas em Israel a partir de 6ª

Netanyahu anuncia novo isolamento de 3 semanas em Israel a partir de 6ª

Yoav Dudkevitch / Pool via EFE - EPA - 13.9.2020

O governo de Israel decidiu neste domingo (13) que obrigará a população a passar por mais um período de confinamento, a partir da próxima sexta-feira, por três semanas, para conter a nova onda de contágio do novo coronavírus no país.

Leia também: Israel chega a 4 mil casos diários e prepara novo confinamento

Com isso, os cidadãos que vivem em solo israelense não poderão ir além das casas em que vivem em mais de 500 metros. Além disso, os estabelecimentos comerciais não essenciais permanecerão fechados, e ficam proibidas as reuniões de mais de dez pessoas.

"Sei que estas medidas têm um custo alto para todos nós", disse o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu.

Hospitais estão quase no limite

A decisão tomada hoje confirma uma advertência feita há dias por integrantes do governo israelense, sobre uma nova paralisação das atividades sociais e econômicas, para tentar conseguir uma maior adesão da população às normas de distanciamento.

Inicialmente, as autoridades apontaram que o limite eram os 2 mil casos diários, que acabaram sendo registrados em vários dias das últimas semanas. Hoje, no entanto, foram mais de 4 mil resultados positivos em testes de diagnóstico.

Além disso, os hospitais de Israel estão em situação próxima da saturação, e a quantidade de casos considerados graves em alta, o confinamento acabou se tornando realidade.

O decreto atual indica um fechamento que vai de 18 de setembro a 9 de outubro. Como aconteceu em abril, durante a celebração da Páscoa, o período também abordará datas festivas, o Ano Novo Judaico (Rosh Hashaná), o Dia do Perdão (Yom Kipur) e a Festa das Tendas (Sucot).

"Apenas se seguirmos as regras, e confio que conseguiremos fazer isso, derrotaremos o vírus", garantiu Netanyahu, pouco antes de viajar para Washington, nos Estados Unidos, onde serão assinados daqui dois dias os acordos de reestabelecimento de laços com Bahrein e Emirados Árabes.

Com 9 milhões de habitantes, Israel teve 153.759 casos de infecção pelo novo coronavírus desde o início da pandemia da Covid-19. Atualmente, são quase 40 mil casos considerados ativos, e mais de 500 pacientes em estado grave.

Últimas