Coronavírus

Internacional Itália estuda fechar escolas e universidades por duas semanas

Itália estuda fechar escolas e universidades por duas semanas

País é o mais afetado na Europa pelo coronavírus, com 79 mortes e mais de 2 mil casos. Ministra da Educação ainda não tomou decisão final

Itália vai fechar escolas e universidades por duas semanas

Itália vai fechar escolas e universidades por duas semanas

Cadu Rolim/Fotoarena/Estadão Conteúdo

O governo da Itália vai fechar temporariamente escolas e universidades para tentar conter o surto de coronavírus no país, segundo a Reuters. A ministra da educação, Lucia Azzolina, ainda não tomou a decisão final, que pode ser anunciada nas próximas horas.

O plano é fechar as instituições de ensino a partir de amanhã até meados de março, como uma tentativa do governo de conter a transmissão da doença.

O país é o mais afetado pela doença fora da Ásia, com mais de 2 mil infectados e 79 mortos. A região rica de Lombardia concentra o maior número de casos, com 1520, com Veneta (307 casos) e Emilia-Romagna (420) logo atrás. Apesar da concentração no norte, a doença já se espalhou por todo o país.

As autoridades estudam criar uma nova “zona vermelha” de quarentena para tentar controlar o surto. A área escolhida por ser a cidade de Bergamo, perto de Milão. As regiões de Lombardia e Veneto já tem áreas vermelhas e de quarentena, em que nenhum cidadão tem permissão de deixar a cidade.

O país também já determinou a criação de “zonas amarelas”, em que a circulação é liberada, mas escolas, restaurantes, bares e áreas esportivas ficam fechadas.

Últimas