Reino Unido

Internacional Johnson oferece veículos blindados e mísseis antiembarcações durante visita a Kiev

Johnson oferece veículos blindados e mísseis antiembarcações durante visita a Kiev

Primeiro-ministro do Reino Unido reforçou compromisso com a Ucrânia na luta contra as Forças Armadas de Vladimir Putin

AFP
Boris Johnson e Volodmir Zelenski caminharam pelas ruas de Kiev, capital da Ucrânia

Boris Johnson e Volodmir Zelenski caminharam pelas ruas de Kiev, capital da Ucrânia

Stringer/Ukrainian Presidential Press Service/AFP - 9.4.2022

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, prometeu ajuda militar adicional à Ucrânia na forma de veículos blindados e mísseis antiembarcações, durante uma visita a Kiev neste sábado (9), onde qualificou as matanças nas cidades ucranianas de Bucha e Irpin como "crimes de guerra".

O novo envio de ajuda militar é composto de 120 veículos blindados e novos sistemas de mísseis contra embarcações "para ajudar a Ucrânia nesta fase crucial, enquanto continua a ofensiva ilegal da Rússia", disse Johnson, em um comunicado divulgado pelo governo.

Isso se soma à entrega de armamento que o governo britânico anunciou na sexta-feira (8), composta de mísseis Starstreak, 800 mísseis antitanques, drones "saqueadores" para ataques de precisão.

Em resposta, o presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, afirmou que "o resto dos países deve seguir o exemplo" do Reino Unido.

Além disso, enquanto os líderes ocidentais coletam fundos para ajudar a Ucrânia, Johnson afirmou que entregaria outros US$ 500 milhões (R$ 2,3 bilhões) por meio do Banco Mundial.

O primeiro-ministro britânico declarou que foi um "privilégio" conhecer Zelenski pessoalmente, durante uma visita a Kiev que não foi anunciada pelo governo britânico.

"Graças à liderança decisiva do presidente Zelenski e ao invencível heroísmo e à coragem do povo ucraniano, os planos monstruosos de [Vladimir] Putin foram desbaratados", disse Johnson, segundo o serviço de imprensa de seu gabinete, após a reunião com o presidente ucraniano.

"A Ucrânia desafiou todos os prognósticos e fez as forças russas retrocederem das portas de Kiev, conseguindo a maior façanha bélica do século XXI", adicionou.

"Hoje, deixei claro que o Reino Unido está firmemente ao seu lado durante a luta em curso e que o estaremos a longo prazo", prometeu.

O primeiro-ministro britânico também qualificou as atrocidades nas cidades de Irpin e Bucha, onde foram descobertos possíveis corpos de civis após a retirada russa, como "crimes de guerra" que "danificaram permanentemente" a reputação de Putin.

"O que Putin fez em Bucha e em Irpin são crimes de guerra e danificaram permanentemente sua reputação e o prestígio de seu governo", disse em uma declaração conjunta com Zelenski.

Últimas