tragédia brumadinho
Internacional Jornais alemães criticam empresa que certificou barragem em MG

Jornais alemães criticam empresa que certificou barragem em MG

TÜV Süd, que confirmou a segurança da barragem em setembro passado, tem sede em Munique. Periódicos destacam prisão de engenheiros

Brumadinho

Bild Zeitung destacou prisão de engenheiros da TÜV Süd

Bild Zeitung destacou prisão de engenheiros da TÜV Süd

Reprodução/Bild Zeitung

Não à toa, o rompimento da barragem da mineradora Vale em Brumadinho (MG) é destaque na imprensa da Alemanha desde a última quinta-feira (24): a TÜV Süd — empresa de certificação e testes que confirmou a segurança da barragem em setembro passado — tem sede na cidade alemã de Munique. 

A Deutsche Welle, agência de radiofusão pública do país, se mostrou a mais crítica das publicações em relação à TÜV Süd: “Não é mais uma associação de vigilância independente, e sim uma empresa que trabalha por dinheiro”, afirma um dos textos publicados no site.

As notas ainda apontam que a companhia, que começou com a inspeção de carros, cresceu para outras áreas até se tornar “orientada pelo lucro”. Segundo a Deutsche Welle, há acusações frequentes de que a TÜV Süd “não leva mais tão a sério a segurança”.

Investigações em andamento

Já o Bild Zeitung, jornal de maior circulação no país, publicou em seu site nesta terça-feira (29) que dois engenheiros da TÜV Süd foram presos em decorrência da tragédia. O texto aponta que a empresa se diz impossibilitada de falar sobre o caso por causa das investigações em andamento.

O Süddeutsche Zeitung, diário de circulação nacional, publicou nesta quarta-feira (30) o número atualizado de 84 mortos pelo rompimento da barragem e reforçou a detenção dos engenheiros da empresa responsável pela certificação. “No ano passado, a empresa com sede em Munique havia testado duas vezes a barragem”, diz o texto.

Deutsche Welle diz que TÜV Süd 'trabalha por dinheiro'

Deutsche Welle diz que TÜV Süd 'trabalha por dinheiro'

Reprodução/Deutsche Welle

Periódicos como Die Welt e Die Tageszeitung noticiam que a TÜV Süd declarou que vai colaborar com a apuração dos fatos. 

Na página do Handelsblatt — uma das principais publicações sobre finanças e economia em língua alemã —, a nota assinada pelo jornalista Alexander Busch, correspondente da América do Sul, avalia que a busca pelos responsáveis pela tragédia em Brumadinho “provavelmente será difícil” e afetará a certificadora alemã.

'Avalanche de lodo'

Por sua vez, a revista semanal Der Spiegel pergunta quem é o culpado pela “avalanche de lodo” no Brasil. “Depois da recente catástrofe, a TÜV Süd também está sob pressão”, lembra o texto assinado pelo jornalista Claus Hecking.