Coronavírus

Internacional Leões e tigres são diagnosticados com covid em zoológico dos EUA

Leões e tigres são diagnosticados com covid em zoológico dos EUA

Animais estão sendo tratados com remédios para contornar os sintomas do novo coronavírus, em Washington, capital do país

AFP
Leões e tigres estão recebendo tratamento e devem ser vacinados contra covid-19 em breve

Leões e tigres estão recebendo tratamento e devem ser vacinados contra covid-19 em breve

Reprodução/Smithsonian's National Zoo

Seis leões e três tigres do zoológico de Washington, capital dos Estados Unidos, estão recebendo tratamento para a covid-19, após a detecção da doença em testes preliminares, informaram nesta sexta-feira (17) funcionários do local.

"No fim de semana passado, os guardas notaram redução do apetite, tosse, espirros e letargia" em seis leões africanos, um tigre de Sumatra e dois tigres siberianos, cujos exames preliminares deram positivo para o novo coronavírus, afirmou o zoológico em comunicado.

A nota também diz que são esperados nos próximos dias os resultados de novos testes para confirmar o diagnóstico. Os animais estão sendo tratados com anti-inflamatórios, medicamentos para evitar náuseas e antibióticos contra o risco de pneumonia.

Os funcionários do zoológico enfatizaram que não há risco para o público, dada a distância considerável entre o hábitat dos felinos e os visitantes. Além disso, o zoo acrescentou que nenhum outro animal apresentou sinais de infecção.

O contágio desses felinos acontece após o anúncio feito na última terça-feira (14) por diversos zoológicos americanos, entre eles o de Washington, do lançamento de uma campanha de vacinação para espécies de animais que podem contrair covid-19.

Além dos felinos, os primatas estão sendo afetados pelo vírus no país. Na semana passada, vários gorilas do zoológico de Atlanta, na Geórgia, apresentaram resultado positivo em testes para detectar o coronavírus.

Para protegê-los desse mal, os animais do zoológico da capital americana serão imunizados nos próximos meses com um fármaco desenvolvido pela companhia especializada Zoetis.

Últimas