Internacional Ligações com seita mística podem derrubar a presidente da Coreia do Sul

Ligações com seita mística podem derrubar a presidente da Coreia do Sul

A política Park Geun-hye estaria sendo manipulada por uma amiga que pertence a uma seita obscura intitulada 8 Deusas

Ligações com seita mística podem derrubar a presidente da Coreia do Sul

Cartazes de manifestantes que pedem a renúncia da presidente sul-coreana mostram imagens dela sendo manipulada pela amiga Choi Soon-sil

Cartazes de manifestantes que pedem a renúncia da presidente sul-coreana mostram imagens dela sendo manipulada pela amiga Choi Soon-sil

Reuters

Um escãndalo que parece saído da ficção tornou-se uma crise política gigantesca no governo da Coreia do Sul. Adversários políticos da presidente Park Geun-hye a acusam de ter uma conselheira política — Choi Soon-sil — que na verdade a controla. A manipulação teria chegado ao ponto desta suposta "amiga" ter acesso a documentos secretos do governo, escrever discursos por Park e até escolher as roupas que ela veste.

O caso ganhou proporções ainda maiores após descobrir-se que Choi é integrante de uma seita mística intitulada 8 Deusas, que segundo investigações, exerce controle sobre diversas esferas do governo.

O escândalo explodiu após uma rede de TV local exibir um vídeo que mostra a conselheira dando ordens diretas à presidente e escolhendo detalhes do itinerário de uma viagem presidencial. A situação piorou ainda mais já que Choi não está oficialmente nos quadros do governo. Após investigadores terem acesso a um iPad de Choi, descobriu-se que ao menos 44 discursos presidenciais foram aprovados pela conselheira mística entre 2012 e 2014.

Como seita ‘do fim do mundo’ que causou mortes no Japão está ressurgindo na Europa

Além disso, Choi Soon-sil está ligada à duas fundações que receberam cerca R$ 70 milhões em doações, o que aumenta as suspeitas de tráfico de influência e corrupção ativa.

A crise institucional resultante das descobertas destruíram a credibilidade do governo. Milhares de pessoas foram às ruas exigindo o impeachment da presidente Park, que perdeu a maioria do Congresso que possuía. A presidente Park solicitou que 10 secretários renunciem aos seus cargos na esteira da crise e disse que vai colaborar com as investigações.

Já a conselheira Choi Soon-sil viajou para a Alemanha assim que a o esquema de tráfico de influência foi descoberto, mas voltou ao país para depor na última segunda-feira (31), e foi presa logo em seguida, sob a acusação de ter usado a amizade da presidente para ter acesso a segredos de Estado.

As ligações das duas remontam décadas passadas. Choi Soon-sil é filha de Choi Tae-min, fundador de uma seita chamada Vida Eterna, que também era conselheiro de Park Chung-hee, pai da atual presidente Park Geun-hye. Park, o pai, foi presidente da Coreia do Sul em 1961, após dar um golpe de Estado, mas foi assassinado em 1979. O crime foi cometido por um dos diretores da inteligência da Coreia, que afirmou em seu julgamento que queria impedir que "líderes místicos" tivessem acesso a assuntos estatais.

Desde essa época, Choi Soon-sil é uma espécie de tutora de Park Geun-hye, na seita 8 Deusas e boatos antigos afirmam que a presidente Park é filha do místico Choi Tae-min.

Coreia do Sul diz que está pronta para ataque preventivo contra Coreia do Norte

    Access log