China

Internacional Lockdown em Xangai separa pais e bebês e faz trabalhadores dormirem em fábricas

Lockdown em Xangai separa pais e bebês e faz trabalhadores dormirem em fábricas

Com 25 milhões de pessoas, a cidade mais populosa da China tenta implementar política de Covid zero com medidas polêmicas

  • Internacional | Do R7

Ruas de Xangai ficaram vazias durante lockdown

Ruas de Xangai ficaram vazias durante lockdown

Hector Retamal/AFP - 07.04.2022

Os governantes de Xangai, na China, implementaram nas últimas semanas uma dura política de confinamento para toda a cidade, com o objetivo de controlar a mais nova onda de pandemia do novo coronavírus na região.

Os 14 casos diários confirmados em 23 de março se tornaram 828 em 7 de abril, com a veloz disseminação da variante Ômicron pela cidade mais populosa da China, com 25 milhões de pessoas.

As regras impostas pelo governo local logo começaram a incomodar os moradores de Xangai, que foram divididos em dois lados – o rio Huangpu foi usado como marco. Segundo políticos, o objetivo era escalonar a testagem da população.

Mas nenhuma das regras causou tanta revolta quanto a separação de pais e bebês. Todas as crianças acima de 2 anos que testassem positivo para a doença eram imediatamente isoladas, sem que sequer fosse permitido aos responsáveis acompanhá-las nos centros de tratamento.

Os grandes galpões ondem ficavam os bebês não contavam com o suporte necessário de enfermeiros para cuidar das crianças da maneira correta. Com as denúncias de maus-tratos, o governo flexibilizou essa regra e autorizou os pais que testassem positivo a permanecer com os filhos.

A política chinesa de tolerância zero com a Covid fez o país registrar apenas 387.620 casos e 4.638 mortes, ainda que possua uma população total estimada em 1,4 bilhão.

Todo esse controle da população e as testagens em massa, entretanto, não foram capazes de conter a variante Ômicron, responsável pelo novo surto em Xangai.

Por se tratar do principal centro financeiro do país, donos de indústrias têm pedido aos funcionários que durmam nas fábricas, para impedir que eles tenham contato com outras pessoas e contraiam a doença.

Aqueles que porventura testem positivo para Covid-19 poderão ser levados para centros de isolamento coletivos. De acordo com a BBC, essas instalações não possuem chuveiros ou espaço para todos.

A frustração dos moradores de Xangai, que nem sequer podiam levar os animais de estimação para passear, fez com que o governo local flexibilizasse o isolamento em alguns bairros, permitindo que as pessoas saíssem de casa.

Últimas