Louvre fecha as portas após funcionários aderirem a greve 

Trabalhadores se juntaram a outros funcionários públicos grevistas do setor cultural e foram vaiados por alguns turistas na fila de espera

Funcionários do Louvre aderem a greve

Funcionários do Louvre aderem a greve

Gonzalo Fuentes/Reuters - 17.1.2020

Turistas foram impedidos de entrar no Louvre nesta sexta-feira (17) enquanto funcionários em greve contra a reforma da Previdência bloqueavam a entrada do museu mais visitado do mundo.

Muitos visitantes foram prestigiar uma exibição especial de Leonardo da Vinci inaugurada em outubro por ocasião do 500º aniversário de morte do artista italiano.

Os trabalhadores do Louvre se juntaram a outros funcionários públicos grevistas do setor cultural, que foram vaiados por alguns turistas frustrados na fila de espera. O museu informou que os ingressos para o dia serão totalmente reembolsados.

Outros visitantes demonstraram apoio à greve contra os planos de reforma da Previdência propostos pelo presidente Emmanuel Macron. O movimento perdeu força desde que o governo fez uma concessão sobre a idade da aposentadoria, junto à pressão financeira enfrentada pelos grevistas.

"É irritante vir a Paris e encontrar o Louvre fechado, mas apoio o pessoal", disse Elaine, uma turista brasileira.