Coronavírus

Internacional Maduro acusa Facebook de censura por apagar post sobre remédio

Maduro acusa Facebook de censura por apagar post sobre remédio

Medicamento seria usado no tratamento precoce do coronavírus, mas não há estudos publicados e nem endosso internacional

  • Internacional | Da EFE

Fausto Torrealba/Reuters - 6.12.2020

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, de censura depois que a rede social vetou vídeos nos quais o chefe de governo fala sobre um remédio que poderia ajudar no combate ao coronavírus, mas cujos estudos não foram publicados nem endossados por organizações internacionais.

"Quem governa na Venezuela, o dono do Facebook? Quem governa o mundo, o dono do Facebook? Abusadores. Zuckerberg, tremendo agressor. O mundo tem que refletir sobre os abusos das redes sociais. Eles são pessoas multimilionárias que procuram impor suas verdades, suas razões, seus abusos no mundo", denunciou o presidente durante um ato de governo.

"Eles censuram todos os vídeos em que eu mostro o Carvativir", reclamou o chefe de Estado, fazendo referência à droga, que outrora fora chamada por Maduro de "gotas milagrosas". Ele prometeu que as pesquisas relacionadas ao medicamento serão publicadas nos próximos dias.

O presidente, que inicialmente havia afirmado que a droga neutralizava o vírus, mudou o discurso dois dias depois e disse se tratar de um recurso complementar ao tratamento.

Segundo Maduro, o Facebook removeu de sua página, de forma abusiva e ditatorial, o vídeo completo do programa, feito no último domingo. "Então, eles dizem que até a Organização Mundial da Saúde (OMS) dizer 'sim' eu não posso falar sobre Carvativir", reclamou.

Últimas