Internacional Mais de 3 mil pessoas são presas em protestos na Rússia

Mais de 3 mil pessoas são presas em protestos na Rússia

Milhares de pessoas protestaram contra a prisão do opositor de Putin, Alexei Navalny. Esposa do miltante está entre os detidos

  • Internacional | Do R7, com EFE

Mais de 3 mil pessoas são presas em protestos na Rússia

Mais de 3 mil pessoas são presas em protestos na Rússia

Anton Vaganov/Reuters - 31.1.2020

Mais de 3 mil pessoas foram presas neste domingo (31) em protestos na Rússia, segundo portal russo OVD Info. Milhares de pessoas foram às ruas de centenas de cidades protestar contra a prisão do opositor de Putin, Alexei Navalny, detido ao voltar a Moscou depois de passar meses na Alemanha se recuperando de um envenenamento.

O portal russo destaca que alguns dos detidos foram agredidos antes da prisão e confrontos entre manifestantes e policiais. 

Entre os presos de hoje está a esposa de Navalny, Yulia Navalnaya, de acordo com o canal de televisão independente Dozhd e a agência estatal TASS, que indica, segundo a advogada de Navalnaya, que a cliente foi detida quando protestava junto a outros manifestantes a caminho da penitenciária de Matrosskaya Tishina, onde o marido está preso.

Esta não é a primeira vez que Yulia é presa. No último dia 23, ela também estava entre os 4 mil detidos em outro protesto.

Protestos no país já são ilegais e não tem autorização do governo, e agora, com a pandemia do novo coronavírus, eles se tornam ainda mais arriscados.

Presos na chegada

Na capital russa, onde os protestos começaram às 9h (hora local) deste domingo, as detenções começaram antes mesmo do início da passeata, convocada inicialmente para a praça de Lubianka, onde está localizada a sede do Serviço Federal de Segurança (FSB, antiga KGB).

O forte esquema de segurança e o fechamento das estações de metrô mais próximas impediu que manifestantes chegassem a Lubianka, motivo pelo qual a equipe de Navalny anunciou uma mudança no percurso para as estações de Sukharevskaya e Krasnye Vorota.

Conforme a Agência Efe constatou, a polícia já esperava os manifestantes na saída do metrô e começou a prender todos que se aproximavam do local de encontro.

Cerca de mil manifestantes chegaram ao Anel dos Boulevards e à praça Komsomolskaya, onde agentes formaram vários cordões humanos para impedir o acesso. Antes do esvaziamento da praça, os manifestantes gritaram "liberdade para Alexei Navalny". Ao menos um homem ficou ferido pelo uso da força da polícia.

Veja mais: Atos de apoio a opositor de Putin deixa milhares de presos na Rússia

Últimas