Internacional Mais de 30 países se juntam aos Estados Unidos na liberação das reservas de petróleo

Mais de 30 países se juntam aos Estados Unidos na liberação das reservas de petróleo

Medida tem como objetivo tentar manter estável o preço do barril apesar da guerra entre Rússia e Ucrânia no Leste Europeu

  • Internacional | do R7, com AFP

Uso de reservas de petróleo pode ajudar a controlar o preço do barril

Uso de reservas de petróleo pode ajudar a controlar o preço do barril

Brandon Bell / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP

O presidente Joe Biden disse, nesta sexta-feira (1º), que mais de 30 países se uniram aos Estados Unidos na liberação de suas reservas de petróleo para estabilizar o mercado instável pela guerra na Ucrânia. 

"Nesta manhã, mais de 30 países de todo o mundo foram convocados para uma reunião extraordinária e chegaram ao acordo de liberar ao mercado dezenas de milhões de barris adicionais de petróleo", disse Biden em mensagem na Casa Branca. 

O presidente americano anunciou na última quinta-feira (31) que liberaria 1 milhão de barris por dia durante seis meses das reservas estratégicas de petróleo dos Estados Unidos.

O objetivo é tentar conter a alta do valor do petróleo desde o início da guerra entre Rússia e Ucrânia, o que impacta a economia mundial. Esse será o maior uso de reservas estratégicas dos EUA desde 1975. 

Em 7 de março, o petróleo atingiu seu nível mais alto desde a crise de 2008. O Brent do Mar do Norte atingiu US$ 139,13 por barril, e o WTI americano, US$ 130,50.

Desde então, os preços caíram. O preço do petróleo se estabilizou na sexta-feira, caindo brevemente abaixo de US$ 100 o barril.

Últimas