Internacional Malawi anuncia planos de abrir embaixada em Jerusalém

Malawi anuncia planos de abrir embaixada em Jerusalém

País será primeira nação africana com embaixada na região e a terceira do mundo a instalar uma sede diplomática lá, depois dos EUA e Guatemala 

  • Internacional | Do R7

Presidente do Malawi é cristão e foi pastor

Presidente do Malawi é cristão e foi pastor

Eldson Chagara/Reuters - 6.7.2020

O Malawi anunciou planos de abrir uma embaixada em Jerusalém, em Israel, em 2021 e será a primeira nação africana com uma embaixada na região em décadas. O país, que é majoritariamente cristão, é comandado por Lazarus Chakwera, que era pastor. 

Em visita a Israel, o chanceler do Malawi, Eisenhower Mkaka, deu uma declaração dizendo que a medida era um "passo corajoso e significativo". As autoridades israelenses disseram acreditar que mais países africanos "seguirão essa decisão". 

O Quênia, a Costa Rica e a República Democrática do Congo tinham embaixadas em Jerusalém até que a Guerra de Yom Kippur, em 1973, que fez com que os países fechassem as sedes diplomáticas.

Atualmente, a região tem apenas duas embaixadas, a dos Estados Unidos e da Guatemala. Brasil, Sérvia, Kosovo, Croácia, Honduras, Moldávia, Romênia e República Tcheca expressaram vontade de abrir embaixadas em Jerusalém. 

Novos mercados

Para o professor de relações internacionais da ESPM, Roberto Uebel, a decisão do presidente do Malawi têm grande significado interno e aponta para uma abertura para novos mercados.

"Isso é uma decisão do presidente de um país que é essencialmente e majoritariamente cristão e desponta na região. É interessante este movimento no sentido de ser o primeiro país africano a abrir uma embaixada em Jesusalém, já que ele não possui nem sede em Israel", explicou o especialista.

Para Uebel, existem duas mensagens que são dadas após essa decisão do presidente Lazarus Chakwera. "Internamente, é um suporte político e legitimidade, já que ele é cristão e foi pastor, e governa uma nação de maioria evangélica", destaca.

"No plano internacional não podemos desconsiderar que Israel é uma potência regional no oriente médio em que busca de novos parceiros, principalmente países africanos", comenta. Para o professor, Israel está se progetando no continente africano.

O professor ressalta que o Malawi vem apresentando um bom desempenho econômico e um ambiente democrático estável.

"Eles possuem eleições regulares, liberdade de imprensa respeitada, é uma democracia que está se estabilizando, e buscando novos mercados, e quem sabe essas novas relações poderiam se dar até mesmo com o Brasil", finaliza.

Últimas