Brexit: Reino Unido fora da União Europeia
Internacional Manifestantes protestam para pedir 2º referendo sobre o Brexit

Manifestantes protestam para pedir 2º referendo sobre o Brexit

Instrumento permite que cidadãos  possam se pronunciar sobre novo acordo assinado com a UE, optando por saída do bloco ou permanência

Manifestantes protestam contra Brexit nas ruas de Londres neste sábado (19)

Manifestantes protestam contra Brexit nas ruas de Londres neste sábado (19)

MATT DUNHAM/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Milhares de pessoas se reunem no centro de Londres neste sábado (19) para pedir um segundo referendo sobre o Brexit, no qual possam se pronunciar a respeito do novo acordo assinado com a União Europeia (UE), optar por uma saída brusca do bloco ou permanecer nele.

A manifestação em prol de uma consulta popular, convocada pelo grupo People's Vote ("voto do povo", em tradução livre para o português), prevê reunir um milhão de pessoas em direção ao distrito de Westminster, onde fica o Parlamento, enquanto os deputados debatem em uma sessão extraordinária o novo pacto assinado entre Reino Unido e UE.

Leia mais: O que esperar do sábado que deve definir futuro do Brexit no Reino Unido

Ao longo do protesto serão realizados discursos de políticos e celebridades que apoiam o voto de "confirmação", como está sendo chamado o possível segundo plebiscito. Os manifestantes carregam bandeiras pró-Europa e cartazes com críticas ao primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

Um grupo de manifestantes também arrasta uma carroça com uma imagem diabólica de Dominic Cummings, o principal assessor de Johnson.

Os organizadores do People's Vote também pedem que as pessoas presentes assinem uma carta dirigida ao primeiro-ministro, aos líderes da UE, parlamentares e eurodeputados para que permitam "a oportunidade de verificar" se a população quer executar o Brexit, que está previsto para o dia 31 de outubro.

O novo acordo de separação entre Reino Unido e UE, anunciado na quinta-feira passada, ainda enfrenta o espinhoso processo de ratificação na Câmara dos Comuns (câmara baixa do Parlamento britânico), que já rejeitou três vezes o pacto anterior e onde agora também não há uma maioria clara que o apoie.

Uma das emendas ao acordo que serão votadas neste sábado rejeita um Brexit brusco e solicita um segundo referendo. O premiê insiste que se compromete a cumprir o calendário do Brexit, com ou sem acordo, mas pode ser obrigado pelo Parlamento a pedir um novo adiamento.