Internacional Marinha envia ajuda a navio atingido por explosão em Beirute

Marinha envia ajuda a navio atingido por explosão em Beirute

Equipes médica e de reparos foram dar apoio à Corveta Bijoy, que ficou danificada após a explosão e teve tripulantes feridos

  • Internacional | Do R7

Marinha do Brasil em ação na região do porto de Beirute, no Líbano, atingida pela explosão

Marinha do Brasil em ação na região do porto de Beirute, no Líbano, atingida pela explosão

Divulgação/Marinha do Brasil

A Marinha do Brasil informou nesta quinta-feira (6) que a Fragata Independência enviou uma lancha com equipes médica e de reparos para apoio a Corveta Bijoy, de Bangladesh, que sofreu danos com as explosões ocorridas em Beirute na terça-feira (4). A embarcação de Bangladesh sofreu avarias com a explosão e teve alguns de seus tripulantes feridos.

Ainda segundo a nota, a Marinha realizou sondagem preliminar do canal de acesso ao porto e berços de atracação dos navios da Força Interina das Nações Unidas no Líbano. O comando da força-tarefa e a Fragata Independência permanecem participando das iniciativas de apoio ao navio de Bangladesh, sua tripulação, bem como possíveis ações do governo libanês voltadas para o restabelecimento das operações do Porto de Beirute.

Na terça-feira (4), a Marinha informou com relação a explosão ocorrida em Beirute, que todos os militares componentes da Força Tarefa Marítima (UNIFIL) estão bem e não há feridos.

"A Fragata 'Independência' encontra-se operando no mar, normalmente. O navio estava distante do local, onde a explosão ocorreu. Outras informações serão passadas tempestivamente", dizia a nota.

A Fragata "Independência" partiu de Natal (RN) em março para operação no Líbano com uma tripulação de 200 militares e uma aeronave a bordo. A Fragata “Independência” permanecerá na área de operação até dezembro de 2020.

Amissão do navio será conduzir operações navais a fim de contribuir para a segurança das fronteiras marítimas do Líbano, evitando o ingresso ilegal de armas ou materiais correlatos naquele país, além do treinamento dos quadros da Marinha de Guerra Libanesa.

Últimas