Coronavírus

Internacional Médico belga é acusado de assinar certificados de vacinação falsos

Médico belga é acusado de assinar certificados de vacinação falsos

Homem teria entregue mais de 2 mil documentos ilegítimos a pessoas que optaram por não se imunizar contra a Covid-19

Agência EFE
Profissional não poderá expedir novos certificados enquanto estiver correndo o processo

Profissional não poderá expedir novos certificados enquanto estiver correndo o processo

Freepik

Um médico foi indiciado por fraude, por ter entregue 2 mil certificados de vacinação contra a Covid-19 na Bélgica, segundo confirmaram nesta terça-feira (23) autoridades locais.

O profissional de saúde, que não teve a identidade divulgada, exercia a medicina na região da Valônia, localizada no sul do país. O médico foi acusado de falsificação e pelo uso de documentação falsa.

A imprensa local indicou que existe a possibilidade do processo movido contra o profissional também passe a ter como indiciadas as pessoas que receberam os certificados.

As autoridades descobriram a fraude quanto um órgão de saúde da Valônia detectou que o mesmo médico havia expedido os comprovantes no mesmo horário, em locais diferentes.

Enquanto estiver correndo o processo, o profissional de saúde não poderá expedir novos certificados de vacinação, conforme explicou a secretária de Saúde da Valônia, Christie Morreale, em entrevista à emissora local de televisão "LN24".

Atualmente, a Bélgica conta com 75,2% da população com esquema completo de vacinação. Na Valônia, a taxa cai para 70,1%.

Enquanto isso, o país atravessa uma alta no número de novos casos de Covid-19, com incidência acumulada de 1.547 positivos para cada 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, um aumento de 64% na comparação com duas semanas atrás.

Apesar da alta no contágio, não está ocorrendo maior quantidade de internações nos hospitais e ocupação dos leitos de UTI, assim como mortes.

Últimas