Médico do papa desaconselhou viagens de avião, diz imprensa italiana

Problemas de saúde de Bento 16 teriam se multiplicado nos últimos anos

"O médico disse: atenção sobretudo com viagens. Ele insistia que o papa ficasse o mínimo necessário em aviões", revela jornalista italiano
"O médico disse: atenção sobretudo com viagens. Ele insistia que o papa ficasse o mínimo necessário em aviões", revela jornalista italiano AP Photo/Andrew Medichini

Os problemas de saúde do papa Bento 16 pareceram se multiplicar nos últimos anos e seu médico o desaconselhou fortemente a viajar de avião. A revelação foi feita nesta quarta-feira (20) no blog Vatican Insider, de Marco Tosatti, setorista do Vaticano do jornal La Stampa, explicando a renúncia do pontífice.

"Reli minhas anotações dos últimos anos sobre a saúde do papa, confidências feitas por pessoas próximas a ele e que eu havia prometido não revelar enquanto ele estivesse ocupando o cargo. Sua demissão me liberou deste compromisso", explicou o expert.

Há dois anos o papa "já não conseguia dormir à noite, mas se recusava a tomar tranquilizantes", escreve o jornalista que explica assim porque Bento 16 "tinha sempre um ar cansado".

Livro revela cartas secretas do papa Bento 16

Presença de cardeais ligados à pedofilia na votação do próximo papa gera polêmica

Papa Bento 16 vai receber mais de R$ 6.000 de aposentadoria

Seu médico pessoal teria então indicado que Joseph Ratzinger poderia continuar com suas atividades desde que "tivesse a tensão sob controle".

— Neste momento a tensão era o principal problema do papa, pois sua tensão era muito irregular. O médico disse: atenção sobretudo com viagens. Ele insistia que o papa ficasse o mínimo necessário em aviões. [...] Parece-me que foi dito expressamente ao papa que a viagem para a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro [de 23 a 28 de julho deste ano] deveria ser evitada.

Além disso, revela o analista, o papa demissionário "praticamente não enxerga mais com o olho esquerdo" e "cai da cama durante as viagens, caso o colchão seja muito pequeno", como aconteceu há dois anos no Vale de Aosta, na Itália.

— Ele se cansa rapidamente, tem muita dificuldade para levantar pela manhã, às vezes dorme nove horas seguidas porque precisa de repouso. Olhando minhas anotações, vejo uma deterioração progressiva da saúde e da energia do papa, um quadro geral que justifica plenamente a difícil decisão que ele tomou.

O que acontece no mundo passa por aqui

Moda, esportes, política, TV: as notícias mais quentes do dia