Internacional Médicos alemães garantem que Alexei Navalny pode ser transferido

Médicos alemães garantem que Alexei Navalny pode ser transferido

Médicos russos dizem que quadro de saúde do opositor de Putin é instável e não recomendam viagem. Aliados criticam decisão do hospital

Médicos alemães garantem que Navalny pode ser transferido

Médicos alemães garantem que Navalny pode ser transferido

Tatyana Makeyeva/Reuters - 1.7.2019

Os especialistas que avaliaram nesta sexta-feira (21) o líder da oposição da Rússia, Alexei Navalny, internado em um hospital na Sibéria por suspeita de envenenamento, garantem que o político pode ser levado de maneira segura para a Alemanha.

"Os médicos alemães, profissionais em reanimação, após examinar Alexei Navalny, concluíram que ele está em condições de ser transportado", garantiu o porta-voz do ativista, Kira Yarmysh.

Hoje, um grupo de médicos desembarcou em Omsk, em um avião médico, que poderia levar o político de maneira segura e imediata para Berlim, no hospital universitário Charité, conforme pediu Yulia Navalnya, mulher da principal referência da oposição ao governo do presidente da Rússia, Vladimir Putin.

Hospital é contra transferência

A posição é contrária a dos responsáveis pelo Hospital de Emergências nº 1 de Omsk, que consideram a transferência arriscada, devido a instabilidade do quadro de saúde do paciente.

O diretor da unidade, Alexander Murakhovsky, ainda relatou que não foram encontrados traços de veneno nos exames feitos em Navalny. Entre os vários cenários possíveis, os médicos suspeitam de "transtorno de metabolismo de carboidratos".

"Pode ser provocado por várias enfermidades. É um estado, não uma doença", rebateu Anastasia Vasilyeva, médica que atende o ativista e líder do sindicato Aliança de Médicos.

Na opinião da profissional, a recusa pela transferência de Navalny é simplesmente uma forma de ganhar tempo, já que, em alguns dias, pode ser impossível identificar a existência de substâncias tóxicas no corpo de Navalny.

Ainda nesta sexta-feira, o porta-voz do governo alemão, Steffen Seibert, cobrou esclarecimentos sobre "as circunstâncias que levaram à hospitalização do líder oposicionista russo" e garantiu que salvar a vida do político é uma prioridade.

Últimas