México diz não reconhecer Jeanine Áñez como presidente da Bolívia

Embaixadora mexicana na Bolívia, Maria Teresa Mercado diz que abriga em sua embaixada 30 ex-funcionários do governo de Evo Moralres

Rodrigo Sura / EFE - 13.11.2019

A embaixadora do México na Bolívia, María Teresa Mercado, disse nesta quarta-feira (13) que o governo de seu país não reconhece Jeanine Áñez como presidente interina do país sul-americano, alegando rompimento da ordem constitucional, e anunciou que abriga na legação diplomática 30 bolivianos, entre ex-funcionários do governo de Evo Morales e congressistas.

"O governo do México não reconhece o governo de Jeanine Áñez. Estamos em uma complexa transição política na Bolívia", afirmou Mercado em entrevista à emissora mexicana "Radio Fórmula".

Leia também: Após renúncia de Evo Morales, senadora da oposição assume a presidência da Bolívia

"A única coisa que o México quer é que se respeite a vontade do povo boliviano, e esta vontade deve ser manifestada e exercida pelas vias constitucionais e pacíficas", acrescentou.

Saída pacífica

Na terça-feira, o chanceler Marcelo Ebrard disse que o México "deseja uma saída pacífica e democrática, apegada à Constituição", para a crise no país sul-americano e "não vê com bons olhos um regime militar, assim como toda a comunidade internacional".

Mercado explicou que 35 bolivianos pediram asilo ao México, o que já foi concedido aos 30 que estão em edificios da embaixada do México em La Paz. Ela não quis revelar a identidade deles ou os cargos que ocupavam.