Internacional México quer processar autor de ataque no Texas por terrorismo

México quer processar autor de ataque no Texas por terrorismo

Governo mexicano estuda a possibilidade de pedir extradição do responsável pelo tiroteio em El Paso; 6 mexicanos morreram no atentado

  • Internacional | Da EFE

Vigília em favor das vítimas do tiroteio reuniu mexicanos e norte-americanos em El Paso

Vigília em favor das vítimas do tiroteio reuniu mexicanos e norte-americanos em El Paso

Jose Luis Gonzalez / Reuters - 4.8.2019

O governo do México disse, neste domingo (4), que planeja apresentar um processo por terrorismo e vai estudar solicitar a extradição do autor do ataque em El Paso, no Texas, que deixou 20 mortos, entre eles seis mexicanos.

"Estivemos em contato com a Promotoria Geral da República para obter todas as informações necessária para, se ficar decidido, abrir a denúncia por terrorismo", disse o ministro de Relações Exteriores do México, Marcelo Ebrard, em entrevista coletiva.

Ele, que confirmou que seis cidadãos do seu país morreram e sete ficaram feridos, disse que para o México será "o primeiro processo da história desta natureza".

"Este processo permitirá que o México tenha acesso a toda a informação correspondente para avaliar se há outros indivíduos potencialmente envolvidos e que ponham em risco a vida de mexicanos nos Estados Unidos", afirmou o chancele, em um pronunciamento no qual os jornalistas não puderam fazer perguntas.

'Para o México, este indivíduo é um terrorista'

Ebrard informou que será feita uma avaliação para saber se há elementos suficientes para que a Promotoria mexicana possa pedir a "extradição do autor ou dos autores destes fatos".

"É uma decisão que será tomada no momento certo, mas que ninguém estranhe porque, para o México, este indivíduo é um terrorista", disse o ministro.

O governo tinha anunciado mais cedo que tomaria "medidas legais" contra o responsável pela venda da arma usada durante o ataque "para ver como foi vendida" e saber se o comerciante sabia das intenções do autor do ataque.

"Acreditamos que que o tema das armas é crucial e agora, infelizmente, isso aconteceu em território americano", disse Ebrard, que apelou para que sejam tomadas "ações legais correspondentes em matéria de armas".

O país entregará ainda uma nota diplomática ao governo americano para que "assuma uma posição clara e contundente contra os crimes de ódio".

Suspeito foi detido em El Paso

As autoridades americanas detiveram um jovem de 19 anos como responsável pelo ataque realizado ontem em um shopping de El Paso, cidade que faz fronteiriça com o México, e investigam o caso como "crime de ódio" conta a comunidade latina.

SAIBA MAIS: Por que massacres no Texas e em Ohio podem levar EUA a revisar leis de armas

O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, lamentou hoje a morte dos seis mexicanos.

"Infelizmente, seis mexicanos perderam a vida e há sete feridos", disse ele, em um evento num hospital de Huetamo, no estado de Michoacán.

Além disso, informou que pediu a Ebrard que aja de forma responsável para não afetar o processo eleitoral dos Estados Unidos.

"Quero adiantar que pedi a Marcelo Ebrard que, apesar da dor e da indignação, atuemos com muita responsabilidade. Nos Estados Unidos há eleições, estão em campanha, e nós não queremos nos intrometer em assuntos internos de outro país", afirmou.

Após saber do ataque, o presidente mexicano elogiou a "convivência fraterna" que existe entre El Paso e a mexicana Cidad Juárez, as duas que compartilham fronteira.

"Isto é produto da decomposição, dos problemas que certas pessoas têm. Não é um assunto generalizado. Pode ser que me engane, mas El Paso é das cidades mais tranquilas dos Estados Unidos", opinou Obrador.

Últimas