México tem quase 60 mil mortes por covid-19 e 600 mil casos

Na sexta-feira (21) foram registrados 504 novos óbitos causados pelo vírus SARS-CoV-2 e mais 5.928 infecções. Testagem é baixa no país

Cozinheira de hospital na Cidade do México com equipamento de proteção ao lado de cartaz sobre como lavar as mãos corretamente

Cozinheira de hospital na Cidade do México com equipamento de proteção ao lado de cartaz sobre como lavar as mãos corretamente

Jorge Núñez / EFE - 2.6.2020

O México se aproximou na sexta-feira (21) da marca de 60 mil mortes por covid-19, com 59.610, e quase de 600 mil casos de coronavírus desde o começo da pandemia, com 549.734.

Segundo dados divulgados pelas autoridades sanitárias do país, apenas na sexta foram confirmados 504 novos óbitos causados pelo vírus SARS-CoV-2 e mais 5.928 infecções.

O subsecretário de Prevenção e Promoção da Saúde, Hugo López-Gatell, revelou que os testes para detectar a contaminação do vírus totalizam agora 1.239.133 desde que a pandemia foi declarada, no final de fevereiro.

O México, com uma população de 130 milhões de habitantes, é um dos países que menos testa para a doença, 3 por 100 mil pessoas, o que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), sugere que a magnitude da crise sanitária está sendo subestimada no país.

No relatório técnico do coronavírus apresentado no Palácio Nacional na capital mexicana, foi relatado que 376.409 pessoas se recuperaram da infecção até agora.

Lopez-Gatell, responsável pelo combate ao SARS-CoV-2 no México, informou que, uma vez que as vacinas contra a Covid-19 estejam disponíveis, elas serão distribuídas gratuitamente. "Serão universalmente acessíveis", prometeu.

O México está atualmente em negociações com os Estados Unidos, a França, o Reino Unido e a Rússia para garantir que a população tenha acesso à imunização o quanto antes. Recentemente, o país da América do Norte e a Argentina negociaram um acordo com a farmacêutica AstraZeneca para produzir a vacina que estão desenvolvendo atualmente e poder distribuí-la por toda a América Latina, o que poderia acontecer durante 2021.