Migrantes resgatados e isolados em navio italiano estão com covid-19

A Itália declarou que seus portos não são seguros para desembarque devido à pandemia, mas permite que migrantes façam quarentena em seus navios

Itália permite que migrantes sejam colocados em quarentena em navios italianos

Itália permite que migrantes sejam colocados em quarentena em navios italianos

FE /Laila Sieber/Sea-Watch.org - 24.06.2020

O presidente da região da Sicília - sul da Itália - Nello Musumeci, afirmou nesta quarta-feira (24) que 28 migrantes salvos nos últimos dias no Mar Mediterrâneo pela ONG alemã Sea Watch testaram positivo para covid-19. Todos estão em quarentena a bordo de um navio italiano.

"Vinte e oito migrantes tiveram resultado positivo para covid-19. Eles estão em um navio atracado no Porto Empedocle, uma solução que exigimos em 12 de abril ao governo central para impedir o desenvolvimento de surtos no território, sem poder controlá-los. Hoje nosso pedido é mais bem compreendido", escreveu Nello Musumeci em suas redes sociais.

A Itália declarou em abril que seus portos não são seguros para o desembarque de migrantes resgatados no Mediterrâneo central devido à pandemia do novo coronavírus e, desde então, permite que trabalhadores humanitários sejam colocados em quarentena em navios italianos, enquanto se aguarda um acordo sobre sua deslocação para a Europa.

Nos últimos dias, o navio Sea Watch ajudou um grupo de 200 migrantes no Mediterrâneo, que foram transferidos a bordo de um navio italiano, onde permanecerão por 15 dias em quarentena.

Eles estão na costa de Porto Empedocle, na ilha da Sicília, e passaram por teste de covid-19, dando positivo em 28 dos resgatados.

Há também outro migrante desse grupo que está hospitalizado na ilha e que, inicialmente, suspeitava ter tuberculose. No entanto, foi confirmado estar infectado com o novo coronavírus.