Internacional Milionário acusado de abuso sexual queria 'espalhar DNA' pelo mundo

Milionário acusado de abuso sexual queria 'espalhar DNA' pelo mundo

Jeffrey Epstein, 66, é acusado de ter estuprado 20 mulheres em seu racho no Novo México com o objetivo de 'melhorar a população humana'

Acusado de abuso sexual, milionário queria 'semear a raça humana' com seu DNA

Epstein foi condenado em 2008 por abuso de menor

Epstein foi condenado em 2008 por abuso de menor

New York State Division of Criminal Justice Services/Reuters - 28.3.2017

O milionário americano Jeffrey Epstein, acusado de abusos sexuais nos Estados Unidos, queria "semear a raça humana" com seus genes engravidando 20 mulheres por vez em seu rancho do Novo México, segundo consta em um artigo publicado nesta quinta-feira pelo jornal The New York Times.

Epstein, de 66 anos e que foi condenado em 2008 na Flórida (EUA) por abuso de uma menor de idade, está agora detido em Nova York à espera de julgamento, acusado por crimes similares.

"Ao longo dos anos, Epstein falou com cientistas e outras pessoas sobre seu plano, segundo quatro indivíduos que o conhecem, embora não haja evidências de que algo tenha se tornado realidade", indicou o jornal.

"A visão de Epstein reflete sua longa fascinação com o que se conhece como 'transhumanismo': a ciência de melhorar a população humana mediante tecnologias como a engenharia genética e a inteligência artificial", segundo o jornal.

Os advogados que defendem Epstein não responderam à solicitação de comentários feitas pelo jornal.

Entre os cientistas proeminentes que foram vinculados a Epstein está George Church, um engenheiro molecular "que trabalhou para identificar os genes que poderiam se alterados para criar humanos superiores".

"O atrativo para alguns cientistas foi a fortuna de Epstein. (O magnata) ofereceu financiamento para seus projetos favoritos", acrescentou.

"Alguns dos cientistas disseram que a perspectiva de financiamento os cegou diante das graves transgressões sexuais (de Epstein) e inclusive os levou a dar crédito a algumas das especulações meio cruas de Epstein", afirmou o reporte.

O artigo do The New York Times descreveu ainda momentos em que Epstein discutiu com diferentes cientistas sobre projetos aventurados.

Em uma sessão em Harvard, "Epstein criticou os esforços para reduzir a fome e dar assistência médica aos pobres porque aumentariam o risco de superpopulação", segundo disse ao jornal o psicólogo cognitivo de Harvard, Steven Pinker.

Em múltiplas ocasiões desde o começo da década de 2000, Epstein falou com cientistas e empresários "sobre suas ambições para usar seu rancho no Novo México como base onde inseminaria mulheres com seu esperma e dariam à luz aos seus bebês", segundo dois cientistas premiados.

De acordo com o escritor e especialista em realidade virtual Jaron Lanier, durante um jantar na mansão de Epstein em Manhattan, ele falou com um cientista que lhe disse que a meta do milionário era engravidar 20 mulheres por vez no seu rancho no Novo México.