Internacional Moldávia abre as portas para chegada de refugiados ucranianos

Moldávia abre as portas para chegada de refugiados ucranianos

Segundo governo local, nas últimas 24 horas, mais de 16 mil pessoas da Ucrânia entraram no país

  • Internacional | Da EFE

População deixa a Ucrânia em busca de abrigo nos países vizinhos

População deixa a Ucrânia em busca de abrigo nos países vizinhos

KACPER PEMPEL

Apesar de ser o Estado mais pobre da Europa e ter uma população inferior a três milhões de habitantes, a Moldávia mostrou nesta sexta-feira (25) a sua disponibilidade para acolher todos os refugiados ucranianos que chegam ao país fugindo da invasão russa à Ucrânia.

"Mesmo que nos próximos dias o afluxo de pessoas da Ucrânia cresça, receberemos todos aqueles que nos pedirem ajuda", disse o presidente do país, a reformista e pró-ocidente Maia Sandu, em um discurso televisionado à nação.

Ela acrescentou que nas últimas 24 horas, mais de 16 mil pessoas da Ucrânia entraram na Moldávia.

A maioria dessas pessoas tem parentes ou amigos na Moldávia, mas a mandatária afirmou que o Estado ajudará com alojamento e alimentação aqueles que não têm ninguém no país.

"Ontem de manhã acordamos para um mundo mais violento, mais incerto, mais instável, um mundo onde a guerra não provocada é possível e causa baixas perto de nossas fronteiras", disse Sandu.

A República da Moldávia conquistou sua independência com a dissolução da União Soviética no início da década de 1990.

Uma das regiões do país, conhecida como Transnístria, encenou uma revolta apoiada por Moscou, que depois proclamou uma república independente de fato neste enclave.

Apesar de ser formalmente parte da Moldávia, a Transnístria hoje continua sendo uma região rebelde.

Estima-se que a Rússia tenha cerca de 2 mil soldados destacados permanentemente na Transnístria.

Especialistas temem que Moscou ative esse contingente militar contra a Ucrânia, se necessário.

Arte/R7

Últimas