Morales pede que AL se una contra ação dos EUA na Venezuela

Presidente da Bolívia pediu para que países da região não sejam 'quintal' dos norte-americanos e criticou ameaças intervencionistas de Trump

Morales pede que América Larina se una contra EUA

Morales pede que América Larina se una contra EUA

REUTERS/David Mercado 05.02.2019

O presidente da Bolívia, Evo Morales, pediu nesta quinta-feira (21) que os presidente latino-americanos para se unir contra a ingerência dos Estados Unidos da Venezuela e para que a região não volte a ser o "quintal" da política americana.

"Convocamos os presidentes latino-americanos a se unirem a nossa luta contra a ingerência e contra a guerra na Pátria Grande", escreveu Morales no Twitter, usando um termo com o qual normalmente costuma se referir ao continente americano.

Morales criticou as "ameaças intervencionistas" do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, contra a Venezuela.

"A América Latina nunca voltará a ser o quintal dos Estados Unidos", concluiu Morales, aliado de Nicolás Maduro.

A Bolívia participou no dia 7 de fevereiro, em Montevidéu, da reunião do Grupo Internacional de Contato sobre a Venezuela entre países da América Latina e da Europa. No entanto, o governo de Morales não assinou a declaração final do encontro, que alertava sobre a gravidade da crise enfrentada pelos venezuelanos.

Além da Bolívia, países do Caribe e Cuba decidiram apoiar Maduro na região. Fora do continente, os principais fiadores do regime chavista são Rússia e China.