Internacional Morre a escritora e jornalista americana Joan Didion

Morre a escritora e jornalista americana Joan Didion

Considerada uma das fundadoras do novo jornalismo, ela tinha 87 anos e sofria do mal de Parkinson

AFP
Joan Didion tinha 87 anos

Joan Didion tinha 87 anos

Peter Kramer/Getty Images via AFP - Arquivo

A escritora Joan Didion, ícone da literatura americana, a quem se atribui a introdução do novo jornalismo nos EUA, com seus ensaios sobre a vida em Los Angeles nos conturbados anos 1960, faleceu nesta quinta-feira (23), segundo o New York Times.

Didion morreu aos 87 anos, de complicações do mal de Parkinson, em sua casa em Manhattan, acrescentou o jornal.

Os primeiros trabalhos de Didion incluíram sua coleção de ensaios seminais Slouching Towards Bethlehem, de 1968, que causou deleite na crítica e a transformou em uma estrela autêntica. Também tiveram grande repercussão The White Album, outra coleção de ensaios com foco em Los Angeles, e Play it as it Lays, uma novela sobre a vida de personalidades de Hollywood.

Décadas depois de seu apogeu como socialite da meca do cinema, roteirista, ensaísta e novelista, Didion se viu novamente no centro das atenções por sua escrita bastante honesta sobre o luto, depois de duas tragédias seguidas.

A escritora tinha 69 anos quando seu esposo e colega roteirista John Gregory Dunne sofreu um infarto fatal. Menos de dois anos depois, a filha do casal, Quintana Roo, morreu aos 39 anos, em razão de uma pancreatite aguda.

Didion explorou o impacto dessas perdas devastadoras em suas memórias de 2011, Blue Nights.

Últimas