Internacional Moscou ridiculariza pedidos de negociação Rússia-Ucrânia mediada pelo Ocidente

Moscou ridiculariza pedidos de negociação Rússia-Ucrânia mediada pelo Ocidente

Declaração foi feita por porta-voz de Valdimir Putin

  • Internacional | Ansa

O governo de Moscou assegurou nesta sexta-feira (7), que os pedidos de negociação com Kiev com a mediação de líderes ocidentais os fazem "dar risada".

O porta-voz do presidente russo, Vladimir Putin, Dmitri Peskov, apontou que "sem dúvidas, o crédito de confiança com essas garantias se esgotou com o destino que teve o documento firmado [pelo presidente deposto Viktor Yanukovich em 21 de fevereiro" com a oposição.

Com a mediação da UE (União Europeia), os acordos previam um governo de unidade nacional e eleições depois de agosto.

Pentágono acredita que 20 mil militares russos estão na Ucrânia

Senadores americanos pedem que Fifa exclua Rússia da Copa do Mundo

Observadores militares são novamente impedidos de entrar na Crimeia

Yanukovich, no entanto, teve de deixar o poder às pressas neste mesmo dia. O ex-mandatário, que era próximo do governo russo, recusou um acordo de associação com a UE, ato de despertou protestos em todo o país.

Peskov ainda disse que gostaria que um cenário de Guerra Fria fosse evitado. "Eu acredito que isso ainda não começou e eu queria acreditar que não vai começar", concluiu.

Uma base de defesa aérea da Ucrânia nas imediações de Sebastopol, na Crimeira, "foi rodeada por militares russos que intimaram os oficiais ligados a Kiev a entregar as armas e se render", apontaram fontes locais à ANSA.

EUA

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, telefonou para Putin para discutir a crise na Ucrânia.

Em uma hora de conversa, Obama ameaçou a Rússia com sanções por conta da intervenção na região da Crimeia, enquanto Putin disse esperar que isso não interfira as relações bilaterais, apontaram fontes diplomáticas.

Últimas