Internacional MP francês pede seis meses de prisão para ex-presidente Sarkozy

MP francês pede seis meses de prisão para ex-presidente Sarkozy

As autoridades francesas também determinaram o pagamento de R$ 22.400 por exceder o valor permitido para campanhas eleitorais

AFP
Sarkozy foi condenado a passar 6 meses em regime fechado

Sarkozy foi condenado a passar 6 meses em regime fechado

CHRISTOPHE ARCHAMBAULT / AFP

O Ministério Público francês pediu, nesta quinta-feira (17), uma pena de um ano, incluindo seis meses de prisão em regime fechado, para o ex-presidente Nicolas Sarkozy por ter excedido o valor máximo de gastos autorizados durante a campanha eleitoral de 2012.

Sarkozy administrou com "total descuido" as finanças de uma campanha de "ouro maciço", considerando que duplicou o limite legal de gastos, escreveram os promotores encarregados do caso.

O MP solicitou ainda uma multa de 3.750 euros (R$ 22.400 na cotação atual). Sarkozy, ausente da audiência, está em julgamento desde 20 de maio.

Ele enfrenta estas acusações junto com outros 13 réus. Para estes, foram solicitadas sentenças de 18 meses a quatro anos de prisão.

Os promotores pediram uma pena de prisão suspensa de três anos e uma multa de 50 mil euros (R$ 298 mil) para o ex-vice-diretor de campanha, Jérôme Lavrilleux, o único a ter reconhecido a fraude.

Leia mais: Com poucas vacinas, mortes por covid-19 disparam no Paraguai

Contra os três ex-executivos da Bygmalion, empresa encarregada dos comícios de Nicolas Sarkozy, que admitiu ter aceitado a instauração do sistema de faturas falsas, foram solicitados dezoito meses de prisão com sursis.

No início de março, Sarkozy tornou-se o primeiro ex-presidente desde 1958 a ser condenado à prisão: foi condenado a três anos de prisão, dois dos quais com sursis, por corrupção e tráfico de influência, e apelou.

Últimas