Mulher de 95 anos que superou coronavírus e se tornou rosto da esperança na Itália

Alma Clara Corsini foi hospitalizada em 5 de março na província de Modena, no norte da Itália e já está a caminho da casa de repouso onde vive

Mulher de 95 anos que superou coronavírus e se tornou rosto da esperança na Itália

    • Internacional
    • por
      BBC NEWS BRASIL
Alma Clara Corsini com a equipe médica que a tratou no hospital Pavullo em Modena, Itália

Alma Clara Corsini com a equipe médica que a tratou no hospital Pavullo em Modena, Itália

Hospital de Pavullo

Nas últimas semanas, a Itália teve poucos motivos para otimismo.

Atualmente, é o país mais afetado pela pandemia de coronavírus na Europa e, na última segunda-feira (23/3), havia registrado mais de 6 mil mortes, o número mais alto do mundo.

Mas o caso de uma mulher de 95 anos que se recuperou da doença conseguiu romper esse pessimismo.

Alma Clara Corsini foi hospitalizada em 5 de março na província de Modena, no norte da Itália.

Segundo o jornal local La Gazzetta di Modena, a saúde de Corsini agora está tão boa que ela recebeu alta e já está a caminho de sua casa de repouso no município de Fanano, na província de Modena.

"Sim, estou bem. São pessoas boas que me trataram bem e já estão me mandando para casa", disse Corsini ao La Gazzetta di Modena em alusão aos cuidados que recebeu no hospital.

O mesmo jornal observou como os especialistas observaram que a recuperação de Corsini ocorreu sem a "terapia antiviral" que é administrada aos pacientes para ajudá-los a combater a infecção.

Região afetada

Mortes por coronavírus na Itália já superam as da China, o local de origem da pandemia

Mortes por coronavírus na Itália já superam as da China, o local de origem da pandemia

Getty Images

A imagem da idosa junto com a equipe médica que a tratou se tornou um incentivo para todo o país e viralizou nas redes sociais.

Emilia Romagna, segundo as estatísticas oficiais divulgadas pelo governo italiano na segunda-feira, 23 de março, registra mais de 8,5 mil casos e quase 900 mortes.

O maior número de mortes ocorre em pessoas com mais de 70 anos de idade.

A Itália, com mais de 6 mil mortes, superou a China (mais de 3,2 mil) na semana passada como o país com o maior número de mortes no mundo.

No entanto, os números dos últimos dois dias mostram uma ligeira desaceleração no crescimento de infectados e mortos.

Essas estatísticas e histórias pessoais como Alma Clara Corsini retratam uma imagem um pouco mais encorajadora para esse país.