"Na prática, Jerusalém já é nossa capital", diz cônsul de Israel em SP

Para Dori Goren, decisão de Trump é um "reconhecimento formal"

Cônsul diz que transferência da Embaixada deve demorar
Cônsul diz que transferência da Embaixada deve demorar Divulgação

O reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel pelos Estados Unidos, anunciado nesta quarta-feira (6) pelo presidente Donald Trump, é uma decisão importante, mas que pouco muda a maneira como a cidade já é vista na prática, afirma o cônsul israelense em São Paulo e na região Sul do Brasil, Dori Goren.

— É um importante reconhecimento formal. Há uma diferença entre o reconhecimento formal e a prática. Na prática, Jerusalém já é nossa capital. Todos os estados reconhecem isso, Jerusalém como nossa capital de fato. A decisão dos EUA confirma formalmente isso. E isso é positivo. É tempo de acabar com essa hipocrisia. Cada Estado tem direito de escolher a sua capital.

Goren lembra que esta polêmica começou a partir da partilha da Palestina, quando a ONU (Organização das Nações Unidas) definiu que Jerusalém e Belém seriam cidades com status diferentes sob a administração internacional.

— Mas na prática isso nunca aconteceu. O lado ocidental de Jerusalém sempre foi a nossa capital, as embaixadas não estão mais lá, mas todas as esferas do poder estão, legislativo, judiciário, executivo e várias outras instituições. Os chefes de Estado, os embaixadores vão a Jerusalém para fazer visitas oficiais. É lá que são recebidos. Isso mostra que o mundo também já aceita Jerusalém como capital.

O cônsul ressalva que a transferência da embaixada americana de Tel Aviv para Jerusalém, do ponto de vista burocrático, não será tão simples.

— Trata-se de um processo demorado, que levará muitos anos para ser concluído.

Goren admite, porém, que uma declaração de Trump a respeito de Jerusalém toca em aspectos muito sensíveis em relação aos palestinos e aos países árabes. E teme, refletindo a apreensão de algumas autoridades de Israel, que até possa haver uma escalada de violência na região em função da decisão.

— Todos os conflitos contra Israel tiveram, nos últimos tempos, como causa um tema ligado a Jerusalém. Pode ser que haja apenas manifestações, incidentes pontuais que logo se acalmem, mas também pode ser o começo de um processo de violência, nunca se sabe. É preciso estarmos atentos.

Transferência da embaixada dos EUA

O presidente Donald Trump reconheceu Jerusalém como capital de Israel ainda nesta quarta-feira (6). A primeira medida após o anúncio será a transferência da embaixada norte-americana para a cidade histórica.

Atualmente, Washington D.C. não possui nenhuma estrutura diplomática em Jerusalém, por isso, a transferência da embaixada ainda deve demorar meses e até anos. As atividades diplomáticas norte-americanas estão hoje concentradas em Tel Aviv.

O reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel faz parte das promessas de campanha do presidente Donald Trump. A decisão do governo dos EUA tem gerado protestos na região.