CRISE HUMANITÁRIA
Internacional Navio de ONG alemã resgata 40 migrantes no Mediterrâneo

Navio de ONG alemã resgata 40 migrantes no Mediterrâneo

Entre os resgatados há duas mulheres, uma delas grávida, um bebê e duas crianças. Grupo saiu da cidade líbia de Tajoura, ao leste de Trípoli

Crise humanitária

Entre os resgatados há duas mulheres, uma delas grávida

Entre os resgatados há duas mulheres, uma delas grávida

Courtesy of Sea-eye/Social Media via REUTERS/31.07.2019

A embarcação Alan Kurdi, da ONG alemã Sea-Eye, resgatou nesta quarta-feira (31) 40 migrantes no Mediterrâneo, a cerca de 30 milhas da Líbia, segundo confirmaram à Agência Efe fontes da organização.

Entre os resgatados há duas mulheres, uma delas grávida, um bebê e duas crianças, acrescentou a ONG.

Os migrantes disseram que tinham saído da cidade líbia de Tajoura, ao leste de Trípoli, durante a noite e que provêm de Nigéria, Costa do Marfim, Gana, Mali, Congo e Camarões.

O barco pedirá agora às autoridades uma indicação de um porto seguro para desembarcar. O mais próximo é o da ilha italiana de Lampedusa.

No entanto, como em outras ocasiões, a expectativa é que aconteceça uma nova disputa com o governo italiano e o ministro do Interior, Matteo Salvini, que certamente impedirá o desembarque.

No último resgate da ONG Sea Watch, ocorrido em 7 de julho, foi Malta quem autorizou a chegada dos 65 migrantes resgatados naquela ocasião após ter chegado a um acordo de realocação com outros países europeus.

No entanto, dessa vez, Malta não deixou o Alan Kurdi atracar.

Este novo resgate acontece enquanto a patrulheira Gregoretti da Guarda Costeira italiana espera atracada no porto de Augusta, na Sicília, com 116 migrantes a bordo, diante da falta de autorização por parte de Salvini.